Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18


http://expresso.sapo.pt/desporto/2015-12-01-Historia-de-um-negocio-milionario-400-milhoes-pelos-jogos-do-Benfica

 

Este notícia do Expresso, na qual aparentemente as damas todas lutam pela exclusividade dos direitos do príncipe, traz-me algumas preocupações.

Para começar, esta questão das exclusividades sempre me fez confusão. Ainda assim, partindo desse pressuposto, só deve haver uma entidade que monopoliza os direitos televisivos de qualquer equipa do Sport Lisboa e Benfica, que é o próprio Sport Lisboa e Benfica.

É que a criação da BTV, um projecto bem sustentado no seu objectivo de trazer o Benfica onde quer que os Benfiquistas se encontrem (quer se concorde ou não com certos conteúdos serem verdadeiramente Benfica, mas isso é outra questão), veio suprir uma falha que já teve duas fases:

  • A fase RTP e canais abertos: Durante esta fase, os jogos transmitidos pelos canais abertos dividiam-se entre os clubes com maior projecção, pelo que os Benfiquistas que, por qualquer motivo, não podiam ir aos estádios, só podiam ver o seu clube jogar à volta de uma vez por mês, aproximadamente, às vezes nem isso.
  • A fase SportTV: Durante este período, a SportTV aglomerou em si os direitos do campeonato Português e pôde, por isso, colocar-se numa posição monopolista. Cobrando valores cada vez maiores por um pacote de ofertas que, para muitos subscritores, não interessava, quem queria acompanhar os jogos do Benfica tinha de subscrever um pacote de canais caro. A SportTV justificava o preço com a oferta, mas, na realidade, muitos dos seus clientes apenas estavam interessados em futebol e, de entre esses muitos estavam apenas interessados, particularmente, no futebol do Benfica. A ligação deste canal ao FC Porto foi uma base fundamental para a manutenção de um sistema que permitiu a Pinto da Costa a consolidação do seu clube nesta fase.

 

Com o aparecimento da BTV e, em particular, da detenção própria dos direitos televisivos do clube que representa, verificou-se quantos subscritores da SportTV estavam verdadeiramente interessados no pacote oferecido e quantos queriam, apenas e somente, acompanhar o futebol do Sport Lisboa e Benfica.

Esta independência não tem preço. A exclusividade, a existir, terá sempre de ser detida pelo próprio Sport Lisboa e Benfica - esta lição já devia estar aprendida. É que quando se fala de um modelo tipo Premier League Inglesa para o campeonato Português, fala-se de um modelo que não contempla um facto incontornável: é que o Sport Lisboa e Benfica, enquanto instituição Histórica, enquanto marca, enquanto símbolo e mística capaz de gerar interesse (até pelas características da diáspora Portuguesa no mundo) encontra-se muito acima do resto dos clubes Portugueses. Este modelo pode servir a maioria dos clubes Portugueses, mas não serve o Sport Lisboa e Benfica. É que sejamos francos: os Benfiquistas não se interessam pela grande maioria dos jogos da Liga Portuguesa que não envolvam o Benfica - tal como acontece com, naturalmente, os adeptos dos outros principais clubes em relação aos jogos das suas equipas. A diferença é que, como o Benfica tem uma projecção muito superior a nível de audiências, é também o clube impulsionador da venda de qualquer modelo de direitos unificados.

 

Assim sendo, na minha opinião, o Sport Lisboa e Benfica deve, qualquer que seja o negócio que pretenda fazer em relação aos seus direitos televisivos, garantir a sua independência e portanto impedir que a sua projecção seja utilizada para promover clubes que têm demonstrado ao longo da sua História serem contrários aos valores da instituição Histórica Sport Lisboa e Benfica e que têm visado, por inúmeras vezes, prejudicá-la. Qualquer modelo unificado fará isto e por isso, qualquer modelo unificado será prejudicial ao Sport Lisboa e Benfica, se não em termos financeiros, sê-lo-á em termos de independência.
O Benfica deve manter a transmissão de jogos na BTV e então sim vender as transmissões a quem apresentar propostas por estas tendo essa salvaguarda. É um modelo semi-exclusivo, pois permite que um operador adquira os direitos exclusivos da transmissão dos jogos do Sport Lisboa e Benfica com a única excepção a essa exclusividade a ser a BTV. Valerá menos? Com certeza, mas por um lado, a união das duas receitas fará o valor certamente superior, por outro, manteria a independência do Benfica e reforçaria a sua posição Histórica única em relação aos restantes clubes Portugueses. Se os outros quiserem e puderem fazer o mesmo, façam-no... se realmente tiverem mercado para isso.

 

Actualização 2 Dezembro, 14.20h:

Um outro factor que me esqueci de referir no texto. Na notícia está escrito que:

«A proposta de 40 milhões por época para garantir os direitos será decomposta em duas parcelas: 25 milhões pelos direitos dos jogos, mais 15 milhões pelo exclusivo do canal Benfica na NOS


Ora isto fará não só com que se perca a independência a troco de um valor que nem é assim tão chorudo, como também torna mais difícil a BTV chegar aos Benfiquistas, obrigando este canal a ser transmitido apenas e somente por um operador. Não e não.

 

Actualização 2 Dezembro, 20.10h:

http://www.slbenfica.pt/noticias/detalhedenoticia/tabid/2788/ArticleId/43892/language/pt-PT/.aspx

 

A Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD informa que celebrou hoje contrato com a NOS Lusomundo Audiovisuais, S.A, empresa do Grupo NOS, SGPS, para a cedência dos direitos de transmissão televisiva dos jogos em casa da Equipa A de Futebol Sénior da Benfica SAD para a LIGA NOS, bem como dos Direitos de transmissão e distribuição do Canal Benfica TV, para o mercado nacional e internacional.

 

O contrato celebrado terá uma validade de três anos, com início na época desportiva 2016/2017, podendo ser renovado por decisão de qualquer das partes até perfazer um total de 10 épocas desportivas. O valor do contrato ascende a um total de 400 milhões de euros, repartido em montantes anuais progressivos.

 

As partes promoverão uma conferência de imprensa, na tarde do próximo dia 10 de dezembro, para esclarecimentos adicionais.


Parece que sempre se avançou... resta saber em que moldes...

 

Actualização 3 Dezembro, 9.31h:

http://expresso.sapo.pt/desporto/2015-12-02-E-agora-onde-vejo-os-jogos-do-Benfica-

 

 

Não sou assinante da NOS. Vou ter de mudar de operador de TV para ver a BTV e os jogos do Benfica?
Para já não. O acordo hoje confirmado entre a NOS e o Benfica só é válido a partir da época 2016/17. Por isso, quaisquer mudanças que possam ocorrer na estratégia de distribuição destes conteúdos não terão efeitos imediatos. Se é assinante da MEO, da Vodafone TV ou da Cabovisão, vai poder continuar a subscrever o canal pelo menos até ao fim desta temporada.

Mas é expectável que a BTV passe a ser um exclusivo da NOS a partir do verão?
A resposta certa a esta questão só deverá ser dada pela operadora numa conferência de imprensa agendada para 10 de dezembro. No entanto, tendo em conta o histórico da NOS (e da antiga ZON), é pouco crível que decida 'fechar' a BTV ou os jogos do Benfica a assinantes de outras operadoras: todos os canais da NOS têm sido disponibilizados à concorrência. E ainda recentemente o CEO da empresa, Miguel Almeida, reiterou que os operadores de televisão devem concorrer pela qualidade dos serviços que têm e não pelos conteúdos que existem. Há, no entanto, um factor que pode mudar este histórico: a recente abordagem da MEO, agora detida pelos franceses da Altice, na compra de conteúdos foi mal recebida pelo mercado. Em particular pela NOS, que é líder de pay-tv em Portugal. Esta demonstração de força na compra imediata dos jogos do Benfica para impedir que estes ficassem um exclusivo da MEO poderá, por isso, ter outras consequências.

E os jogos do Benfica vão ficar na BTV ou passar para outro canal?
De novo: certezas, só quando a NOS anunciar a sua estratégia ao mercado. Mas em cima da mesa estão duas opções. Ou a NOS passa a emitir os 17 jogos por época do Benfica em casa na Sport TV - canal que detém a 50% com Joaquim Oliveira - ou mantém a sua emissão na BTV. Qualquer das soluções terá vantagens para a operadora. Se emitir os jogos na Sport TV, reforça a posição deste seu canal, que já é dominante na área de conteúdos desportivos em Portugal. Mas se continuar a emitir os jogos na BTV, também garante que o canal criado pelo Benfica se mantém atractivo. Não apenas para os actuais subscritores, mas também para todas as plataformas de televisão, nacionais e internacionais, que queiram tê-lo. E como os direitos de distribuição do canal estão agora a cargo da NOS, pode fazer sentido não esvaziar o produto e manter o projeto como uma interessante fonte de receitas.

 

 Actualização 3 Dezembro, 16.05h:

De notar que eu defendia (e defendo, mas já está consumado o negócio, por isso não importa) a expansão da BTV tendo como bandeira principal de venda os jogos do Benfica. Aposta nos mercados dos países com grande presença de origem Portuguesa e Lusófona, com algumas ideias de negócio algo alternativas que tornariam a oferta semi-exclusiva. Acredito que a BTV, sendo detentora da "marca" Benfica a que tanta gente pelo mundo fora quer ter acesso, podia, a médio prazo, atingir valores bem superiores a este. Havia risco? Sim, havia, mas bem calculado, tal como estes anos embrionários da BTV foram, com crescimento calculado e jogadas inovadoras que sacudiram o mercado.

De qualquer forma, à parte daquilo que eu preferia, houve de facto uma grande precipitação ao fechar-se este acordo à pressa. Não quero agora entrar no campo de encontrar os motivos desta pressa, apesar de ter alguns palpites e bitaites. O facto é que, com um pouco mais de tempo, haveriam de surgir outras hipóteses. Preocupa-me também a máscara dos €25M + €15M, pois vamos imaginar que, por qualquer motivo que se queira imaginar, a BTV fecha.
Ficam €25M, com um contrato até 10 anos do qual ninguém se pode soltar, nem Vieira nem qualquer eventual sucessor, pois com certeza não haverá pagamento por um canal que já não existe... e se isso for estratégia? E se oferecer €25M pelos direitos, + €15M pela transmissão BTV, já tiver na sua estratégia "secar" a BTV até ao desaparecimento, através, por exemplo, da SportTV que tem os conteúdos todos? Imagine-se que a SportTV apanha também o Benfica B e a formação e as modalidades e faz o SportTV 6... a BTV fica com o quê? É que é do interesse da NOS que a BTV acabe, pois poupam €15M. Não o afirmo, mas que é uma hipótese válida, é.

 

Actualização 11 Dezembro, 08.07h:


http://www.dn.pt/desporto/benfica/interior/jogos-do-benfica-nao-estao-certos-na-sport-tv-4924109.html


Uma sessão de esclarecimentos que pouco esclareceu. Não acredito, no entanto, que a NOS não tenha um plano acerca do que fazer com os jogos do Benfica. Penso sim que não quiseram confirmar o cenário SportTV, canal que já se prepara para subir o seu preçário.


 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:44




Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds