Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18



A redenção de um TETRA

por Admirador do Isaías, em 14.05.17

Tais foram as lágrimas que ontem brotaram nos meus olhos, pela emoção da vitória sobre o Vitória de Guimarães, do futebol avassalador, da História, sim, mas sobretudo pelo entendimento profundo do que realmente foi alcançado. Nestes momentos, o Benfica dá-nos a oportunidade, a cada um de nós, de nos erguermos acima do lodo inerente à nossa existência. Os problemas mundanos extinguem-se, as preocupações tornam-se supérfluas, ocorre uma "pequena morte" que nos deixa saborear o êxtase da transcendência.

 

 

Só que o Benfica não venceu apenas, fez mais que isso. Abrasou uma vez mais, com a Luz intensa do seu íntimo sol, todos os vampiros conscientes e inconscientes, que desesperam por tapar a contínua manifestação do Fogo Sagrado, para subsistirem. Desligados da vida, eles invejam-nos por o Benfica nos ter escolhido, por nos imbuir com estas chamas que, ao contrário do que se diz, não criam um Inferno da Luz, mas sim que queimam um Inferno (o da mundana existência) com a Luz.

 

Este é, para mim, também, um momento de redenção. A coragem de um homem é mais facilmente vista pela forma como aceita os seus erros e assume e admira os seus melhores. Sofri de cegueira. Não reconheci Rui Vitória nem quando o vi, nem quando começou perdendo no nosso clube. Não tive a clarividência de perceber e só o milagre da conquista que ainda foi a tempo de conseguir na época passada me mostrou. Ainda assim, apesar de ter mudado o meu discurso aqui no blog, ainda me faltava assumir o erro.

A diferença individual entre Jorge Jesus e Rui Vitória, bem como o efeito que cada um tem nos que os rodeiam, é abissal. Fomos levados pela tentação da boçalidade nos momentos de vitória. Confundimos exigência com prepotência. A isto tudo, Rui Vitória reagiu com coerência, consistência e tranquilidade. Devolveu àqueles que seguem o Benfica um sentimento tão mais próximo da originalidade do próprio clube, tão genuíno, que se tinha perdido pelas eras mercantis, onde deixámos em lápides alguns dos últimos verdadeiros idealistas.

 

Só que o Benfica não existe fora do seu contexto. Se a era é mercantil, então o Benfica adapta-se. Se o nosso Símbolo é uma estaca cravada na escura Roma, qual um farol (por isso nos situamos na Luz), então si fueris Romae, Romano vivito more (em Roma faz como os Romanos). Se a era é mercantil, então quem melhor que um mercador astuto para liderar o clube e empresa? Luís Filipe Vieira, a quem reconheço variados defeitos que foi revelando ao longo destes 15 anos, tem o mérito de perceber "como ser Romano" antes dos outros. Deu ao Benfica as ferramentas próprias para se afirmar de novo neste novo mundo, tão distante dos tempos da fundação, como outros antes dele o fizeram. Adaptou o clube aos novos tempos. Mesmo que o tenha feito partindo de motivações egoístas, tornou-se num homem cujo Destino se revelou muito maior do que ele próprio.

 

«O mundo é para quem nasce para o conquistar
E não para quem sonha que pode conquistá-lo, ainda que tenha razão.»
- in Tabacaria, Álvaro de Campos (Fernando Pessoa)

 

Vieira encontrou, nestes dois anos, em Rui Vitória, o contraponto fundador, o idealista à imagem de figuras de proa do nosso clube no início e meio do século XX. O homem que soube acender um outro tipo de lume em nós todos, através da comunicação calma e respeitosa, mesmo nos momentos em que teve de se exaltar perante as circunstâncias. A fortuna que o acompanha, acompanha-nos agora, porque Rui Vitória fundiu-se tão naturalmente com o Benfica que, agora, parece que nasceram juntos. E não tenho quaisquer dúvidas que a sua Sorte, tão aliada às suas outras competências nos momentos mais cruciais, tem sido a força da sua "raça ardente e viva". Peço perdão, Rui Vitória. Grato pela alegria e inspiração, que vão bem além das vitórias conquistadas.

 

E agora, celebre-se mais um pouco. Somos TETRA, porra!

 

Daqui a duas semanas, já há mais um troféu para conquistar - sempre com o máximo respeito pelos adversários (humanos como nós), sem tomar absolutamente nada como garantido, com total humildade e uma ardente vontade de saborear de novo a transcendência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 20:50




8 comentários

De António Madeira a 15.05.2017 às 00:02

Parabéns uma vez mais pelo belo texto. Nem todos têm a grandeza de reconhecer que erraram e mostrar que são hoje melhores por isso.
Ontem viveu-se um grande dia de Benfiquismo, com a Mística a invadir por completo aquelas bancadas e aquele relvado numa comunhão única como nunca tinha sentido naquele, nem no saudoso estádio da Luz.
Somos privilegiados. Primeiro por sermos do Benfica e depois por conquistarmos o tetra desta forma inolvidável!
Essas imagens do Luisão com o Shéu são para ver e rever! E sorrir muito. :)

Abraço benfiquista!

De Admirador do Isaías a 15.05.2017 às 08:30

Somos, de facto, privilegiados!

E é o Benfica quem nos escolhe!

Forte Abraço!
A.do Isaías

De BENFICA365 a 15.05.2017 às 05:19

Saudações, caro TETRA!

VIVA AO BENFICA!
VIVA AO BENFICA!
VIVA AO BENFICA!
VIVA AO BENFICA!

Clube grande não para... venha a Taça!

Aquele Abraço!

De Admirador do Isaías a 15.05.2017 às 08:31

Ah pois!

Venha a Taça, com grande humildade, espírito de sacrifício e união. Teremos um adversário ferido no orgulho, que quererá mostrar a sua outra força nessa final.

Abraço!
A.do Isaías

De lawrence a 15.05.2017 às 20:05

Também olhando à história do mundo, e aos homens que construíram ou reconstruíram pequenos e grandes impérios, faço ardentes votos que Luis Filipe Vieira também saiba:

1 - Perceber a hora em que tem de sair, evitando o mesmo deprimente arrastar no trono que quase todos protagonizaram e alguns contemporâneamente como Salazar e Pinto da Costa.

2 - Embora pessoalmente não goste muito de sucessões em continuidade, preparar quem possa, em processo democrático de votação, propor-se a dar seguimento ao trabalho de implementação da competitividade desportiva e comercial do S.L.B. dentro e fora de portas, desde que não seja um familiar.

Até lá, há muito para conquistar!

Viva o Sport Lisboa e Benfica!

De Admirador do Isaías a 15.05.2017 às 20:55

Caro lawrence,
grato pelo seu comentário.

Permita que faça dois reparos ao mesmo:

1 - O Sport Lisboa e Benfica não é um império, muito pelo contrário. Como eu escrevi no post ao qual comentou: «Se o nosso Símbolo é uma estaca cravada na escura Roma, qual um farol (por isso nos situamos na Luz)». Compará-lo a impérios e "imperadores", não :-)

2 - Do interior do Benfica sempre surgiu a solução própria. Seguramente que será também o caso aqui. Quem sabe como estará o mundo, o contexto, o que será necessário, etc. O Benfica fará então aquilo que melhor sabe fazer: transcender-se.

Cumprimentos,
A.do Isaías

De RMC a 21.05.2017 às 14:10

É tanto isto, que nada acrescento, nem a um post brilhante nem a uma resposta esclarecedora.
Só um obrigado.

De Admirador do Isaías a 21.05.2017 às 14:36

Um abraço, caro RMC!

comentar



Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog