Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18



Medicina alternativa: Seferovix

por Admirador do Isaías, em 15.08.17

Seferovix:
em cápsulas ou gel, eficaz para as cãibras de esforço e as lesões frequentes.
Uma só aplicação é suficiente para curar uma equipa inteira.

 

Ironia à parte, tenho de dizer que fiquei desiludido com o público de Chaves. É que uma coisa, salutar, é apoiar a equipa da sua terra com convicção. Outra é assobiar o adversário. Sendo, na ocasião, o seu adversário o Benfica, que nunca desrespeitou o Chaves, é uma atitude incompreensível, por um lado, e bacoca por outro. De tal forma que acabou com a justiça devida.

 

Foi um bom jogo táctico, mas no qual os desequilibradores do Benfica, devido à massa de jogadores da equipa de Rui Castro (estranha opção para um treinador que no ano passado tinha o Rio Ave a trocar a bola com futebol positivo) não se conseguiram evidenciar. Havia sempre mais uma perna no caminho do golo ou do derradeiro passe. Ou um poste, como no remate de Jonas.

 

As mudanças no Chaves, colocando-o ainda mais defensivo, acabaram por atabalhoar a organização e o Benfica, que entretanto coloca Raúl e Rafa, começa a criar cada vez mais perigo, com uma pressão crescente. Cantos atrás de cantos, passes em profundidade, passes laterais à procura do cruzamento.

 

Foi nessa fase, em que os jogadores do Chaves já faziam um anti-jogo que não conheci no Rio Ave do ano passado, que Pizzi coloca a bola na profundidade lateral, Rafa, fresquinho, alcança-a para um cruzamento rasteiro perto da linha e Seferovic inventa um toque quase de calcanhar, para fazer uma "rabeta" ao guarda-redes e batê-lo, por fim.

 

Estava dada a vitória a quem a mereceu, a quem trabalhou e soube ser prático quando a magia não tinha espaço. O Chaves, equipa que têm condições para crescer, deve evitar os erros de outros e focar-se no apoio próprio e não a gerar inimizades onde elas não têm lugar... a não ser que agora Chaves seja um novo baluarte da visão Norte-Sul com mais de 30 anos, instaurada por Pinto da Costa? Acho que não é, mas fica o alerta. Para crescer há que ser Grande à partida e este tipo de comportamentos são pequenos.

 

PS: Jardel a ganhar forma...

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:25


Cumprida a primeira etapa de ciclo difícil

por Admirador do Isaías, em 10.08.17

Sem ter sido uma entrada tão intensa como na Supertaça (também porque o adversário não deixou), o Benfica mostrou os seus pergaminhos de Tetra-Campeão. Foi uma primeira parte em que, após ter marcado o inaugural por Seferovic (mas 3/4 de golo é do Jonas) e o 2-0 por Jonas, que aproveitou a oferta do central contrário para mostrar arte na concretização, podia perfeitamente ter se encontrado a golear a equipa Bracarense. Contudo, quem não marca arrisca-se a sofrer e o golo do Braga perto do intervalo (desconcentração e lentidão inaceitáveis de Jardel, atenuadas pela falta de ritmo nesta fase, e uma mancha pouco sólida de Varela - atira-te com o torso e os braços à bola, não com os pés, miúdo!) podia ter relançado o jogo. Um penalty que ficou por assinalar sobre Jardel mesmo ao cair do pano podia ter dado essa tranquilidade bem mais cedo. Aqui o video-árbitro não se manifestou.

 

 

Só que o Benfica nunca perdeu o seu foco. Entrou na segunda parte com a mesma determinação ofensiva que lhe fizera chegar ao 2-0 antes. Num lance de Cervi (que é um CRAQUE, um descanso para qualquer treinador, tão bem que ataca e defende, sem nunca desistir de um lance), Salvio empurrou e recolocou a vantagem de dois golos.

 

Surge depois o lance da polémica do lado do Braga. Seferovic parece, a olho nu, estar a colocar em jogo Ricardo Horta. À primeira, pareceu-me, também, que não estava fora-de-jogo. Precisei de, à vontade, dezenas de repetições para pausar no ângulo em que se vê Seferovic e Horta ao mesmo tempo no plano. Aí, nota-se que está, de facto, ligeiramente adiantado (mais ou menos tanto como o Hassan no golo bem anulado anterior). Honestamente, não sei se foi capacidade do fiscal de linha ou um golpe de vista que correu bem. A verdade é que o video-árbitro concordou com a decisão, por ter tido a oportunidade que eu tive: a de rever o lance de vários ângulos, várias vezes. Bem decidido, afinal, após as dúvidas iniciais.

slb - scb - offside.PNG

 

O Benfica venceu bem, podia ter dilatado o marcador e acabou a controlar o adversário e a gerir o esforço (já pensando em Chaves). Cumprida a primeira etapa de um ciclo difícil.

 

NOTA: Não posso deixar de comentar aquela aziada conferência de imprensa do Abel, em que o seu lagartismo calimeriano veio todo à tona. Até posso aceitar que lhe tenham dito ou que ele tenha visto o lance polémico do fora-de-jogo de forma diferente. É um lance dos mais difíceis de analisar, particularmente porque o fiscal de linha está do lado do atacante. O que não posso deixar passar é aquela conversa dos orçamentos. Rui Vitória respondeu-lhe bem, referindo o Feirense que terminou próximo do Braga com um orçamento muito inferior e os anos em que teve de trabalhar com saldo negativo. Só que basta voltar a 2009/10 e perguntar qual a diferença de orçamento entre o Braga, que lutou até ao fim pelo título, e o Sporting ou o Porto dessa época. Mais a mais, aquele ressabiamento típico de neo-lagarto, a deixar, em ar de gozo, o desejo que o Benfica se dê mal na Champions, "porque lá é pequenino" (era isso que implicitava) demonstra bem o clube de onde vieste. Vai lá contabilizar, ó Abel, o número de meias-finais e finais das várias competições Europeias em que o Benfica participou. Vai lá ver quantas dessas aconteceram deixando pelo caminho equipas de orçamento muito superior? Eu já tinha escrito sobre o SC Braga aqui no blog e a sua intenção legítima de querer ser um dos grandes. Contudo, este é o tipo de caminho que os afastará de tal intento, por pretender chegar a grande sem antes se transcender. Olha, Abel, o Benfica na sua história, na fase de ascensão, com orçamento zero, sacou campeonatos ao Sporting que já pagava a jogadores.

Ficarão aqui na memória, estas tuas reflexões, ó Abel.

 


 

Actualização 10/AGO/2017, 11:50

Entretanto já me chegou que um site/blog afecto ao Sporting quer demonstrar e provar com a imagem abaixo que o golo do Braga não é obtido em fora-de-jogo:

Ridículo. Então e que tal, já que se deram ao trabalho de pôr as linhas, alinhá-las com o rabo do Seferovic, a sua parte do corpo mais atrasada que conta para efeitos de fora de jogo, ou com a cabeça/ombro do Horta, que é a mais adiantada que conta? Isso é que era, mas aí já não havia "prova".

 

Ri-dí-cu-los.


Continuo a dizer que este lance é muito difícil e que se fosse validado o golo não me chocava absolutamente nada. Já o penalty sobre o Jardel... é claro para todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:56


40 minutos à Benfica!

por Admirador do Isaías, em 07.08.17

Muitas dúvidas, algumas pertinentes, outras absurdas, se levantaram entre as hostes Benfiquistas devido aos resultados e exibições dos jogos de pré-época. Eu mantive-me em silêncio quanto a isso, por me aperceber que o que estava a ser feito nesses jogos era um reforço da condição física, para uns, e um teste à utilidade imediata, para outros. Sabia, mesmo antes de Rui Vitória o dizer na conferência de imprensa que antecedeu a Supertaça, que o Benfica se apresentaria competitivo no Sábado, o que não quer dizer que vencesse, pois uma final é uma final.

 

Pois bem, a entrada do Benfica desconjuntou um Guimarães aguerrido (como sempre) e desfez o plano de jogo que Pedro Martins tinha montado, que passava por uma contenção de resultado, procurando enervar o Benfica, para depois tentar dar uma machadada no adversário. Obrigados a reagir com o 1-0 de Jonas, o Benfica aproveitou vez após vez esse necessário adiantamento e marcou um apenas quando teve oportunidade para se aconchegar num confortável 4-0. Como não conseguiu finalizar, quando o Guimarães reduz, num lance entre o fortuito e a falha de André Almeida (Bruno Varela devia ter falado com o colega, mas tecnicamente a culpa não é dele), o jogo relança-se.

 

A segunda parte foi, tendo em conta a proximidade de jogos importantes, pautada por uma tentativa de gestão de jogo que não funcionou muito bem. Com a condição física a ressentir-se depois de intensa primeira parte, a equipa não conseguia manter a bola e ofereceu algumas oportunidades ao adversário que podia ter empatado, não fosse Varela e a inabilidade de Hurtado. A entrada de Raúl, contudo, mexeu logo com a partida e inverteu a pressão. Raphinha foi forçado ao erro, deu o ouro ao "bandido" Pizzi e este esperou até ao momento exacto e deu a Raúl, com a mesma classe com que tinha dado a Seferovic, metade do golo que este converteu primorosamente. Estava arrumada a questão.

 

 

Foram 40 minutos à Benfica aos quais poucos adversários em Portugal terão capacidade para resistir. Há que melhorar a finalização e, com melhor condição física mais à frente, gerir de outra forma a posse de bola sob pressão. Vem o Braga a seguir, rumo ao Penta.

 

NOTA: Neste momento, o onze é Jonas, Cervi, Pizzi, Fejsa, Luisão e mais seis!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:43

...mas ninguém enganarás, nem a ti, no fim.

 

Tens a lata de dizer que não foi por dinheiro que mudaste, usando para isso a referência ao período da tua longa lesão, na qual o Benfica cumpriu contigo não só monetariamente o acordado, como prestou todo o apoio e mais algum para que a complicada lesão fosse totalmente debelada e voltasses em grande?!

 

Queres fazer conversa de vítima?! Dá antes um triplo salto em direcção à vergonha que te falta na cara!!

 

Foste realmente um coitado, retribuindo ao fim de todos estes anos à família onde nasceste para o desporto, que fez de ti campeão, que te apoiou nos momentos mais difíceis, que nunca te faltou, com uma saída para um rival indo (citação) «ganhar muito mais»! Mas não foi por dinheiro, reafirmas!... Foi porque "tratou mal um símbolo do clube".

 

Sem saber exactamente o que se passou, a tua decisão final, como resposta a tal "maltrato", esclarece que afinal não basta ser-se da formação e ser campeão para se ser símbolo de um clube: é preciso estar lá e, da mesma forma que o clube é generoso para com o atleta, ser-se um atleta generoso para com o clube. Se não tivesse havido proposta do Sporting, particularmente tão avultada, teria sido a mesma a tua decisão?! Tu sabes que sacrifícios fizeram os ases do teu passado, que hoje desonras, para vestir esse símbolo ao peito?! A tua resposta dita que o alegado "maltrato" teve, afinal, fundamento.

 

«Ao contrário do que se diz, não é a ocasião que faz o ladrão. A ocasião faz o roubo, o ladrão já nasce pronto.»

Olavo Bilac

 

Não brinques com questões que tu, de tão "profissional" e "ético", nada percebes.

 

Tiveste a oportunidade, sim, de imortalizar o teu nome e a tua figura como um dos melhores de sempre de entre os ases do Sport Lisboa e Benfica. De ser, no fim, mais que um nome ou uma figura, de transcenderes a tua própria vida e seres um símbolo de rubro e branco e Águia. De seres um dos imortais "rapazes com o Fogo Sagrado".

 

Assim, foste e serás sempre, apenas mais um campeão que o Benfica teve em si, mas que, afinal, nunca teve em si o Benfica. Este foi o pior salto da tua vida e nada do que digas mudará isso.

 

Os Homens vêem-se nas Ocasiões, tal como os Amigos. Tu preferiste, afinal, ser um ovo estragado.

 

«A ocasião faz o homem, como o choco faz o pinto; sem ela, o homem é um ovo goro.»

José de Alencar

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 13:21


Vai haver golo!

por Admirador do Isaías, em 21.07.17

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:36

...e aproveitou a Taça das Confederações para iniciar a sua pré-época em alto nível!

És extraordinário, Eliseu! Força!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 17:11


Extraordinariamente "bem esgalhado"!

por Admirador do Isaías, em 27.06.17

Num mundo de mercadores, nada como aproveitar a oportunidade do momento, nada como transformar o ataque sobre nós em paródia. Extraordinariamente "bem esgalhado"!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 19:44


A confirmar-se, aprovo!

por Admirador do Isaías, em 27.06.17

Benfica recompra Bruno Varela

O Benfica vai acionar junto do V. Setúbal a cláusula de recompra de Bruno Varela, guarda-redes internacional sub-21, formado no Benfica, que esteve no Bonfim esta temporada, e que representou Portugal no último Europeu de sub-21, na Polónia.

A SAD vai pagar o que ficou contratualizado quando libertou o guarda-redes para Setúbal no ano passado: 100 mil euros. O processo ainda não está concluído, mas é provável que esteja encerrado nos próximos dias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 13:15


Apoiado!

por Admirador do Isaías, em 23.06.17

Indignação e protesto no Hóquei

 

O Sport Lisboa e Benfica informa que não comparecerá, este sábado, em Gondomar, na final four da Taça de Portugal de Hóquei em Patins. 

 

Esta decisão da Direção do Sport Lisboa e Benfica justifica-se pela necessidade e urgência de se tomar uma posição clara que demonstre o estado de degradação que atingiu este ano a cúpula da modalidade e o total desacordo com alguns critérios – ou falta deles – da parte da direção da Federação Portuguesa de Patinagem (FPP) e dos órgãos que a compõem (Conselho de Arbitragem, Conselho de Disciplina e Conselho de Justiça). 

 

Importa realçar que esta decisão nada tem a ver com as outras três equipas que, de forma meritória, conquistaram o direito legítimo de competir, nesta fase final da prova, pela conquista da Taça 2016/17. 

 

Ao longo de toda a época, a equipa de Hóquei em Patins do Sport Lisboa e Benfica foi sentindo que muito dificilmente poderia jogar em igualdade de circunstâncias com outros competidores no Campeonato Nacional, por circunstâncias alheias à mera e sã competição desportiva. 

 

Perante evidentes sinais de dualidade de critérios nos bastidores, decisões erradas em pista e sucessivas nomeações de árbitros difíceis de compreender, jogadores e equipa técnica levaram a definição do campeão até à última jornada, com assinalável resiliência e espírito competitivo. Mas infelizmente, o pior estava para acontecer. 

 

No decorrer do dérbi de Alverca – intenso, competitivo, uma autêntica final –, ficou clara a inexistência de imparcialidade em algumas decisões, quer para quem o viu no pavilhão quer para os muitos milhares que acompanharam as incidências da emotiva partida pela televisão. Algo que ficou bem expresso, pela forma como foi anulado de forma inexplicável, a poucos segundos do apito final, o golo que daria o 6-5 e muito provavelmente a conquista do 24.º Campeonato para o SLB. 

 

Sobre todos estes temas, o Sport Lisboa e Benfica vai apresentar uma vasta exposição junto das entidades competentes, que deverão analisar, entre outros aspetos relevantes, a viabilidade dos atuais órgãos da FPP e até a “utilidade pública” da mesma federação que, nas mais diversas áreas, continua a anos-luz dos principais clubes que compõem aquele que é considerado o melhor campeonato do mundo. 

 

O SL Benfica procurou, durante toda a temporada, junto das instâncias oficiais, compreender as razões para o estranho critério de nomeação de árbitros, mas não foi possível ouvir explicações e isso diz algo das decisões tomadas. Pediu justiça para os injustificáveis castigos a atletas do Clube – até por comparação com outras situações –, mas, mais uma vez, não foi bem sucedido. 

 

No final de tudo isto, parece que os únicos a quem foi “tirado o sono” foi aos atletas, técnicos, dirigentes e adeptos do SL Benfica, como o comprovam declarações públicas de alguns responsáveis de órgãos pertencentes à FPP ou até a nomeação para o jogo da meia-final da Taça. 

 

Nas últimas cinco temporadas, o SL Benfica sagrou-se duas vezes Campeão Europeu, conquistou muitas provas do calendário nacional com as suas equipas seniores masculina e feminina (que também venceu uma Liga Europeia), colaborou para o desenvolvimento do hóquei em patins jovem, organizou eventos e participou em iniciativas de promoção à modalidade e, em conjunto com os outros clubes, contribuiu para as grandes audiências televisivas do hóquei em patins. Acabou, contudo, por ser ignorado e perseguido durante toda esta temporada. A anulação de um campeonato a 23 segundos do final, sem qualquer motivo para tal, é apenas o espelho de uma época em que nunca houve igualdade de circunstâncias. 

 

O Clube toma esta inédita decisão na sua história não apenas por interesse próprio, mas acima de tudo pelo bem da modalidade. É impossível que o profissionalismo, dedicação, empenho e paixão de clubes como o Benfica continue a conviver e estar dependente do amadorismo e “velhos hábitos” que vigoram no hóquei nacional, desde a primeira divisão às divisões inferiores, dos seniores à formação, do masculino ao feminino.  

 

Que fique claro: tudo isto nada tem que ver com o FC Porto e a UD Oliveirense, cujas equipas lutaram arduamente pelo título nacional e que beneficiarão também, em igual medida ao SL Benfica, das evoluções positivas que se verifiquem nas estruturas que organizam as competições em Portugal. 

 

Finalmente, porque todo o grupo de trabalho do Hóquei em Patins merece um fecho de época na companhia de quem sempre esteve presente nas bancadas, informamos que se realizará um treino à porta aberta, este sábado, no Pavilhão Fidelidade, às 18h30, hora para a qual estava agendada a meia final da Taça, em Gondomar. 

 

Lisboa, 23 de junho de 2017 

Sport Lisboa e Benfica 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 13:35


Sporting cada vez mais cópia barata do FCP

por Admirador do Isaías, em 17.06.17

Acabei de ver o jogo Sporting - Benfica em Hóquei.

 

Antes de mais, tem de ser dito: O Benfica não foi campeão porque falhou nos jogos teoricamente mais fáceis. Pôs-se a jeito ao ter de depender de um jogo que, claramente, estava preparado para não só o roubo a que se assistiu, como também, para a salgalhada que se verificou no final.

 

Não se pode associar o título desta época a este jogo somente.

Contudo:
Como é possível que, depois do que se passou no ringue, o treinador do Sporting se queixar da arbitragem?
Como é possível que, tendo agredido pelo menos duas vezes, de forma visível, dois adversários, o Pedro Gil ainda vai tentar agredir o árbitro (atropelando um colega de equipa pelo caminho)?
Como é possível que o capitão da sua equipa tenha passado o jogo todo a provocar o público afecto ao adversário e tenha depois tentado provocar o jogador João Rodrigues?

É possível, porque o clube que representa está cada vez mais identificado com o FC Porto. Tentando, nesta fase da sua História, uma cópia barata do clube azul e branco, acabará por implodir, como aliás, já implodiu inúmeras vezes no seu passado. É que o FC Porto (de Pinto da Costa, principalmente), é o clube original da desonestidade e trapaça.

A pira da Retribuição que consumirá um, por todos os seus actos, poderá vir a destruir o outro também, agora, por arrasto moral. Cada qual com o seu Destino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 19:54




Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2017

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds