Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18



Realmente Temos Pena, RTP

por Admirador do Isaías, em 15.02.17

Realmente Temos Pena, RTP, António Tadeia e companhia, Realmente Temos Pena.

 

Realmente Temos Pena que o Sport Lisboa e Benfica, maior clube Português e de dimensão mundial, tenha ganho.

 

Realmente Temos Pena que o Aubameyang tenha calçado as chuteiras ao contrário.

 

Realmente Temos Pena que o Mitroglou tenha sido desajeitado ao ponto de sacar um golo quase sem querer.

 

Realmente Temos Pena que o Ederson seja o melhor guarda redes a actuar num clube Português e que mais uma vez o tenha provado em campo.

 

Realmente Temos Pena, RTP, António Tadeia e companhia, de não ter sido possível vos oferecer o orgasmo que tanto procuraram o jogo todo, comentado injustamente, sempre em desfavor do clube Português com mais adeptos, aquele que vocês tanto odeiam.

 

Como tudo foi diferente no Euro, não foi? Aí, éramos todos Portugueses, não éramos?

 

E pensar que somos todos forçados a pagar esta imundice através das nossas contas da electricidade...

 

 

Notas sobre o jogo:

Adorei a primeira parte do Carrillo, sempre dentro do jogo, a pedir bola, com vontade, a tapar muito bem o seu espaço no flanco esquerdo mesmo quando a equipa não tinha tanta bola como costuma ter. Por mim, tinha ficado em campo quando entrou o Filipe Augusto (bom jogo que teve) e quem teria saído seria o Rafa.

 

Luisão quis de facto ter uma exibição que lhe permitisse celebrar a marca dos 500 jogos convenientemente e conseguiu. Tapou a sua falta de velocidade com posicionamento e espírito de comando. Foi fundamental no golo e o capitão sereno que precisámos ontem.

 

Ederson, Ederson... Oh Ederson... Tenho a impressão que até o Bento te fez uma vénia ontem, pá! Seguraste a equipa quando esta mais precisava. A serenidade deste rapaz a jogar a este nível é impressionante!

 

Lá será outro jogo, que teremos de batalhar epicamente para passar, mas por agora estamos em vantagem!

 

Força Benfica!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:38


A macumba do Talisca

por Admirador do Isaías, em 24.11.16

Depois de uma primeira parte de luxo e um início promissor de segundo tempo, o que se seguiu só posso concluir ser fruto de uma macumba do Talisca ao intervalo. Mesmo lesionado, fez-se sentir o seu fantasma.

 

Incompreensível o medo sentido na segunda parte que incapacitou a equipa. Mais não digo pois quero que o Baiano fique lá sossegadinho no canto dele com os seus Pais-de-Santo.

 

 

Da alegria imensa à desilusão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 12:12


Do resultadão ao resultadinho

por Admirador do Isaías, em 02.11.16

Na sexta-feira, o resultadão. 3-0 parco para o domínio imposto e para a qualidade do futebol Benfiquista. Ontem, o resultadinho. 1-0 aceitável como mínimo, mas com uma exibição desinspirada que poderia ter comprometido muita coisa já nesta fase.

 

 

O alívio da vitória suadinha (com um segundo penalty favorável que ficou por marcar, diga-se) é, no entanto, assombrada pela lesão de Fejsa. Ainda assim, Rui Vitória já provou aos Benfiquistas (até aos que lhe foram mais justamente críticos, como eu!) que...

 

«O azar de uns é a oportunidade de outros»

 

De quem, contudo? Samaris não tem ritmo, como demonstrou. Será Celis? André Almeida? Ou será que Fejsa recupera?

 

Não importa. A equipa que se apresentará no Dragão saberá honrar o símbolo da águia dourada. Veremos se com o que tem vindo de proeminentes representantes do "FC Porto 1982" (não confundir com o original FC Porto), todos os outros intervenientes saberão honrar-se da mesma forma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:30


"Derrotáveis"

por Admirador do Isaías, em 20.10.16

"O Benfica é uma equipa forte mas, como representa a liga portuguesa, é derrotável. Podemos dizê-lo da experiência do ano passado contra o FC Porto"

 

O Dinamo de Kiev já tinha no início dos anos 90 levado uma lição Benfiquista na segunda volta de uma fase de grupos desta competição, que, naquela época, qualificava para a final. Venceram em Kiev num jogo cheio de azares (dos quais se destaca a lesão gravíssima de Rui Águas), mas na Luz foram presenteados com um indubitável 5-0.

Com isto no historial, porque se colocaram a jeito declarando o Benfica como "derrotável"?

Claro que num jogo, qualquer equipa é derrotável (como o 1º de Dezembro nos mostrou). Contudo, trata-se do Sport Lisboa e Benfica, incomparável a qualquer outro clube que "representa a liga portuguesa". É o Dinamo de Kiev o mesmo que o Shaktar Donetsk?

 

Dentro de campo fomos eficazes e sólidos, sem problemas em fechar quando necessário. Soubemos controlar o adversário e suportar o seu ímpeto na procura do resultado, servindo-nos do golo madrugador. Há bastante controlo emocional neste Benfica, mesmo quando, em certos momentos, parecemos um pouco atabalhoados.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:54


Objectividade

por Admirador do Isaías, em 29.09.16

Sei bem que o futebol de alto nível requer vários planos de jogo e vários momentos que uma equipa seja capaz de implementar. No entanto, no meu âmago, sempre fui adepto do futebol objectivo, do passe rápido, do drible simples, da jogada eficaz. Nisso os Alemães são historicamente os melhores.

 

Só que ontem foram Italianos. Sarri monta as suas equipas dessa forma objectiva, sempre inclinada para a frente e intensamente pressionante. Causar-lhe-á dissabores, como se viu nos últimos 15 minutos de jogo, se não conseguir alternar com outros planos mais de contenção, mas este tipo de futebol é, para mim fascinante.

 

Contudo, eu sou do Benfica e, infelizmente, o que temia aconteceu. O que o Nápoles conseguiu fazer em todo o jogo, mas em particular a seguir ao primeiro golo, foi tentar sempre colocar a minha equipa em contra-pé, fazendo-a correr pela bola e espreitando a abertura deixada por quem tem de procurar o golo. Faltou objectividade ao nosso futebol. Podíamos ter marcado antes e o resultado não espelha o nosso esforço, mas premiou a equipa que sempre teve, de peito aberto, a ideia de marcar (associado à noite desastrada do Júlio, infelizmente).

 

Que sirva de lição: a verticalidade objectiva (o passe para a frente com critério) ganha mais jogos que a posse de bola... especialmente quando não se consegue ter bola. Tal lição evidenciou-se nos dois golos (Guedes e Sálvio) com que conseguimos amenizar esta derrota - ambos obtidos com lances de futebol simples e verticais. Aliás, já tinha sido assim em Madrid na época passada.

 

Análise Eu Visto de Vermelho e Branco

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:42

Não vou escrever tudo o que penso da situação sui generis de ontem. Não tenho todos os dados para poder julgar se é o Benfica que tem razão ou o Talisca, na questão que o próprio referiu dos salários e de saber que ia sair, etc. A verdade é que ele fez, quando entrou, uma exibição que não se via desde o início da época 2014/15 e começou a equilibrar o jogo do Besiktas. Se calhar se tivesse sempre o orgulho ferido tinha sido titularíssimo desde que chegou. São os "profissionais da bola". Eu que sou adepto, fico... aborrecido.

 

A verdade é que não foi o Talisca que "roubou" ao Benfica dois pontos, foi sim o próprio Benfica. A nossa equipa teve o jogo na mão, o adversário desequilibrado e oportunidades para arrumar o assunto. Não marcámos somente por culpa própria. Quem falha assim na Champions, sofre. Ah e depois ainda demos um livre absurdo a um minuto do fim, cientes que estava um especialista "picado" do outro lado. Enfim.

 

Foi uma equipa muito jovem, mas isso não explica tudo, nem serve de desculpa. Ter o sonho e a via para lá chegar não basta: para jogar com o Manto Sagrado, há que aproveitar as oportunidades que surgem.

 

O destino de quem não petisca parece que é levar com o orgulho do Talisca!

 

Por mim, bem pode ficar na Turquia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:41


Champions? Ganhar em casa.

por Admirador do Isaías, em 26.08.16

Calhou ao Glorioso o Grupo B, ordenado desta forma:

 

Benfica

Napoli

Dinamo Kiev

Besiktas

 

Se queremos seguir em frente na principal prova Europeia, há que não desperdiçar qualquer ponto em casa e então depois, sim, conseguir um ou outro resultado fora. Nenhuma destas deslocações é agradável:

 

  • Nápoles vai receber o Benfica com mentalidade de guerrilha, especialmente quando sentem que estão em renascimento, tendo afundado desde os tempos do Maradona.
  • Ir jogar à Ucrânia é sempre complicado, pela deslocação e clima. Ao menos será em Outubro e não Novembro ou Dezembro!
  • Istambul é sempre uma visita difícil, agora com a instabilidade vivida no país ainda mais. O Besiktas é um clube por quem tenho alguma simpatia (por conhcer um Turco adepto desse clube), mas aquela fantochada quando souberam que jogariam com o Benfica não só denigre a imagem do clube, como pode bem virar-se contra eles.

 

Aos nossos jogadores e técnicos, como está escrito no nosso Hino:

honrai agora os ases que nos honraram o passado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:45


Tri-Campeões 2015/16: filme da autoria de dfernandes

por Admirador do Isaías, em 24.06.16

Agradecimento ao dfernandes do Chama Gloriosa por este magnífico trabalho! :-)

 

Parte 1:

 

Parte 2:

 

Parte 3:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 19:18


Competimos com a honra da nossa História

por Admirador do Isaías, em 14.04.16

Nenhum Benfiquista, ao contrário do que foi insinuado por alguns comentadores na RTP, ficou "satisfeito" com uma derrota ou com o facto de ter sido eliminado.

O que acontece, incompreensível para alguns, é que o Benfica compete com a honra da sua História, com os tais "ases que nos honraram no passado", não com a História do Bayern ou de outro rival. O que nos satisfez e orgulhou foi que numa época de mercenários, em que os jogadores trocam de "amores eternos" com facilidade, a equipa do Benfica demonstrou diante deste poderoso Bayern que tem um plantel de jogadores focados e determinados em honrar o peso das camisolas outrora envergadas por esses "ases do passado". Apesar das ausências forçadas, teria bastado só um pouco mais de qualidade individual (que, hoje em dia, só com milhões se obtém) para se ter conseguido eliminar o colosso alemão dirigido por um dos melhores treinadores da actualidade.

De notar que conseguimos também um 3-3 (no agregado de uma vitória e uma derrota) na fase de grupos contra a equipa do Atlético de Madrid que ontem eliminou o Barcelona de Messi, Iniesta, Suárez e Neymar.

São notas positivas de uma campanha que em nada tentam justificar a eliminação merecida diante de uma equipa melhor (e que todos pensavam ser muito melhor que o que foi, "culpa" de um Benfica organizado e determinado).

Terminamos a Liga dos Campeões esta época entre os oito primeiros que é o lugar mínimo exigível ao nome Histórico do Sport Lisboa e Benfica.

Estamos satisfeitos, isso sim, com a "luta com fervor" deste nosso Benfica, que "nunca encontrou rival neste nosso Portugal!"

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.


Agora, vamos pensar no Vitória de Setúbal!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:29


Dimensões

por Admirador do Isaías, em 06.04.16

O Benfica fez em Munique ao Bayern aquilo que o Braga quis fazer ao Benfica na Luz.

Uma questão de dimensões; de clube, de cultura, de valia dos jogadores...

 

Com o Braga, é certo que tivemos a sorte do jogo - não sofrendo quando podíamos ter sofrido e marcando quando podíamos marcar - mas a dinâmica despertada pelo primeiro golo foi tão forte que a goleada é mais que justificada.

 

Achei curioso que Paulo Fonseca parece estar mais respeitoso quando se refere ao Benfica. Terá aprendido algo com a marca de bota que ainda deve ter ficado do pontapé no rabo que levou no Porto? Espera-se que sim.

 

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

 

Quanto a Munique, pergunto: quantas equipas teriam desmoronado após aquele golo aos 2 minutos? Sofrer um golo cedo em Munique diante deste Bayern de Guardiola não é desprimor nenhum, jogar de olhos nos olhos (com a diferença de dimensão dos jogadores disponíveis, claro) e não se limitar a sofrer vaga após vaga de ataques bávaros é um aspecto positivo e promissor. Aconteça o que acontecer, o Bayern já respeita o futebol Português novamente.

 

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

 

Ah e perdoem-me os analistas, eu, como Benfiquista e até mais esclarecido ainda pelas regras da FIFA (ver este post no NGB acerca disso), não penso que aquele lance do Lahm seja penalty. O braço está lá a apoiar o carrinho (seria quase impossível e muito pouco natural fazê-lo com os braços atrás das costas) e não há movimento do braço para ir ao encontro da bola quando esta é rematada pelo Gaitán. Em contraste com o penalty contra o Braga em que, aí sim, há movimento do braço após a bola sair do pé.

Adicionalmente, e nada tendo a ver com o assunto directamente, vendo as imagens, também me pareceu que o Fernando Torres foi bem expulso contra o Barcelona. A primeira entrada é alaranjada e ele ainda reclama com o árbitro, pondo-se a jeito. A segunda entrada, até pode ter sido um tropeção, mas quem vai entrar à bola assim habilita-se - o facto não é a intenção, mas a ocorrência: o jogador do Barcelona foi atingido com uma entrada ríspida que justifica o amarelo, que era o segundo na ocasião.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:31




Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2017

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog