Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18



Há 15 anos, teríamos perdido

por Admirador do Isaías, em 07.11.16

A equipa do FC Porto entrou forte neste clássico e cedo se percebeu que toada teria o jogo.

O Portismo não tem apenas 30 e tal anos (muito pelo contrário) e este tipo de empenho demonstrado ontem é de um Porto "à antiga". O orgulho, a união e a raça que fizeram deste clube o terceiro grande, quando ainda Pinto da Costa nem sonhava ser Presidente.

Caceteiros? Ontem só numa ou outra ocasião; e com uma arbitragem neutra, o Porto "à moderna" dos últimos 30 e tal anos terá sempre dificuldades, por lhe faltar a base emocional que deitou fora em troca do ódio e da batotice. Isso é um problema do Portismo, contudo.

 

A equipa do Sport Lisboa e Benfica foi ontem empurrada demasiadas vezes para o seu reduto defensivo e percebia-se que, sem alterações, difícilmente não sofreria golos. Samaris sem ritmo, como se viu com o Kiev, pareceu-me má escolha para iniciar o jogo e a batalha do meio campo foi sempre desigual.

O golo surgiu, como infelizmente era espectável. Há 15 anos teria sido suficiente para a derrota - pela derrocada emocional e pelo controlo dos árbitros ainda então detido por Pinto da Costa. Só que esse controlo findou e este Benfica de Rui Vitória é pleno de espírito, forte emocionalmente e focado em si mesmo. Lesões e indisponibilidades nada significam para este grupo e para este treinador. Um mérito subvalorizado.

Esse espírito sobrepôs-se às dificuldades e à aparente montanha que havia que escalar - fez dela um montezinho de areia e o cabeceamento de Lisandro matou o fantasma dos 92 minutos no Dragão.

 

Olhemos fitos essa Águia altiva,
Essa Águia heráldica e suprema,
Padrão da raça ardente e viva,
Erguendo ao alto o nosso emblema!

Com sacrifício e devoção
Com decisão serena e calma,
Dêmos-lhe o nosso coração!
Dêmos-lhe a fé, a alma!

- excerto do Hino do Sport Lisboa e Benfica

 

Nota: Sei que ainda não o disse, mas chegou a altura. A postura e atitudes de Maxi Pereira diante do clube que lhe deu notoriedade e títulos, perante ex-colegas de equipa até, demonstram que, com ou sem Paco Casal metido ao barulho, tem o carácter de um rato de esgoto. Claro que Maxi deve dar o seu máximo no jogo ao representar o clube que agora lhe paga para jogar. Contudo, há uma grande diferença entre dar tudo futebolisticamente e ser arruaceiro e provocador. Olha, há um tal Nélson Sem Medo que irá ocupar o lugar no museu Cosme Damião que poderia ter sido teu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:54


É esta a diferença para o tal Super-Porto?

por Admirador do Isaías, em 21.09.15

O Benfica visitar o Dragão (antes Antas), ocasião tida como uma espécie de festival no calendário Portista, é sempre considerado um jogo muito complicado. Esta época, por tudo o que se passou em mais um verão quente à Portuguesa, a visita ganhava um interesse especial.
É que para além da questão do Maxi Pereira - que foi para mim, apenas e somente, como já relatei, o mais recente refém da guerrilha antiga - encontramos o Benfica de volta a um rumo que já nos parecia estranho, abandonado que tinha sido há tanto tempo: o da aposta efectiva, não só ocasional, na sua própria formação. Isto perante um Porto que, por mais uma época consecutiva, fez por ser apelidado de Super, gastando quantias consideráveis em transferências e salários no reforço do plantel.

Com uma pré-época desastrosa a vários níveis (cuja responsabillidade cai somente sobre os ombros de Luís Filipe Vieira e de quem o terá aconselhado), o início de época pareceu mostrar um novo treinador sem unhas para a guitarra Gloriosa. Mesmo assim perdeu a Supertaça com o Catedrático-Sporting apenas através de um "chouriço". A verdade é que a evolução nos processos, defensivos e ofensivos, tem sido notória. A verdadeira e útil pré-época tem sido feita em andamento competitivo, infelizmente - o que, repito, demonstra incompetência de quem a planeeou e aprovou, não de quem teve de se haver com ela.

Posto tudo isto, muitos esperavam que o tal Super-Porto esmagasse este "fraquinho" Benfica. Pois bem, não o fez e, tendo vencido a partida, deixou muitas perguntas por responder ao longo do resto da época. Desengane-se quem pensar que esta equipa do Porto rumará tranquila ao título, que até pode vir a conquistar, sim, mas não com o à-vontade desejado...
O nosso Sport Lisboa e Benfica, esse, entrou com personalidade, com vontade. Com um pouco de sorte - talvez as bruxarias de Fafe outra vez? - o Glorioso teria saído de lá com um resultado semelhante ao da época passada, tendo jogado bem melhor que nesse jogo. Só que o resultado final é o que conta e o Benfica não se fica com vitórias morais. Ficamos sim é com a clara sensação que, perante aquele que deveria ser o melhor plantel do campeonato, o Benfica lutou de igual para igual, remetendo grande parte do jogo ofensivo do adversário àquilo que já tinhamos acusado o Benfica de Vitória fazer: cruzamento à balda, procurando qualquer coisinha. O Benfica podia e devia até ter marcado e depois jogado contra dez (Maicon) a segunda parte... ou talvez mesmo nove (Maxi)...

Num ressalto azarado a meio campo, lá surgiu uma boa jogada que aproveitou o desequilíbrio defensivo do Benfica na ocasião para dar o golo da derrota. Já não havia muito tempo para reagir e a equipa sentiu demasiadamente o golo. As substituições não deram muito ao jogo, mas penso que a entrada de Talisca teve mais a ver com a fé num pontapé inspirado do que com outra coisa. Pizzi visou refrescar o exausto Guedes.

Posto isto, pergunta-se: é esta a diferença para o tal Super-Porto? Veremos na Luz, na segunda volta, como estarão as duas equipas. É que em termos de ideias de jogo e dos seus processos, vê-se evolução no Sport Lisboa e Benfica, mas uma enorme estagnação no Porto - joga quase o mesmo que na época anterior. Repito: não há cá vitórias morais, mas o facto é que Lopetegui ganhou um balão de oxigénio ainda sem mostrar ter capacidade táctica para pôr o melhor plantel do campeonato a ser demolidor, em contraste com Rui Vitória que, depois de todas as merecidas críticas de que foi alvo, mostra cada vez mais evolução, inteligência e atitude, mantendo fidelidade ao rumo para o qual foi contratado.
Vamos vendo jogo a jogo.

E Nélson Semedo é cada vez mais jogador... e será enorme!

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:54


Maxi Pereira: O novo refém da velha guerrilha

por Admirador do Isaías, em 01.07.15

De Rui Vitória, treinador já apresentado no Sport Lisboa e Benfica, falarei depois de ver a bola rolar algumas vezes. É uma fase que se inicia, requer tempo, trabalho e esperança.

De Maxi, no entanto, uma que chega ao fim, aparentemente, é tempo agora de falar.

Parece-me ser verdade que a tentativa de renovação por parte do Benfica se iniciou há bastante tempo, ainda com a época a decorrer. Só que o empresário de Maxi, um homem demasiado influente, é virtualmente dono do futebol Uruguaio - bom, do futebol e não só. Os seus lucros são enormes e não em poucas instâncias muito pouco claros. A sua argúcia e ganância são devoradoras. O círculo onde se movimenta não é menos que uma "Mafia".
Paco Casal jogou o jogo da espera, primeiro, e do paga 2 milhões para ver, depois. Maxi, por sua vez, sempre se revelou feliz no Sport Lisboa e Benfica e sempre subentendeu que queria continuar e que o dinheiro não era o factor importante.

Então, se o problema não era o dinheiro e a vontade era de continuar, o que impediu a concretização da renovação de contrato? Só há um elemento que sobressai: evidentemente Paco Casal.


Maxi encontra-se, a meu ver, refém do mafioso Uruguaio que manda na selecção, nos clubes e até na comunicação social.
Grande parte da família de Maxi Pereira habita, ainda, no Uruguai. Que seria da vida deles se Maxi afrontasse tal figura do caporegime na América do Sul? Que seria da vida do próprio Maxi, provavelmente vendo-se impedido de providenciar uma boa vida à sua família, como revelou ser a sua maior preocupação?

Para mim, pessoalmente, há poucas dúvidas.

O Sport Lisboa e Benfica tem responsabilidade em dois factores: o primeiro, na figura de quem quer que tenha de facto conduzido o processo, ao não cortar o processo de negociação mal se tenha apercebido do jogo sujo de Casal. O segundo, quando se pretendeu passar a imagem que a renovação não acontecia porque Maxi não queria - inaceitável. Até posso entender que, do ponto de vista do mundo futebolístico, o Benfica podia não querer hostilizar o mafioso Casal ao quebrar o silêncio sobre como o processo estava na mesa e denunciar o agente. O que é incompreensível é que, perante tal evidência, não se tenha protegido Maxi.
Hostilizar Maxi, agora, é injusto. Ele sempre quis continuar connosco, mas as variantes da frase "primeiro está a minha família" com que sempre nos brindou, fazem muito mais sentido quando se percebe o poder do seu empresário em todas as esferas da vida Uruguaia e até internacional... e a capacidade de Pinto da Costa de encontrar sempre formas inovadoras de guerrilhar.

Pinto da Costa até pode ter prometido a Paco Casal que sim Sr, que dava os dois milhões de prémio de assinatura ao empresário e que oferecia um salário de 2 milhões/ano a Maxi. Pinto da Costa sabia, se o fez, que tal o faria afastar Maxi do Benfica. Vamos ver é se para o mafioso Paco Casal, Pinto da Costa é mafioso e meio. Vamos ver se se concretiza essa tal proposta e se Maxi vai mesmo para o FC Porto.
Penso que não, penso que a jogada já deu frutos: Maxi já foi hostilizado pelos Benfiquistas e já não será o mesmo se renovar (por alguma reviravolta do destino). Pinto da Costa pode agora, se quiser, dar o dito por não dito pois já ganhou a parada que queria: O Benfica perdeu o seu timoneiro de há seis anos no lance do puto Bruno e o seu sub-capitão de há oito neste lance. Como isso não chega para garantir uma vitória do FC Porto, o próximo alvo é o conselho de arbitragem, cuja perda de controlo já valeram dois anos em branco ao Don portista: esta questão do sorteio dos árbitros não é um fim, mas um início.

 

Actualização 10/JUL/2015 19:29h:

http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/maxi-pereira/maxi-talvez-seja-a-ultima-camisola-do-benfica-que-trago

Maxi Pereira foi cumprir uma promessa religiosa a um santo, levando consigo e deixando no altar uma camisola do Sport Lisboa e Benfica. Depois disse que ainda está tudo por decidir. Na minha perspectiva, tal acto apenas confirma a minha suspeita em relação a que é Paco Casal quem força Maxi. Mais: este interregno parece-me uma derradeira tentativa do próprio Maxi Pereira seguir carreira noutro país que não Portugal - ninguém tem um gesto destes com uma camisola do clube que serviu durante 8 anos e não sente amor por ele. Maxi ama o Benfica e, podendo, jamais o trairia. Só que, como bem disse, o bem-estar da sua família vem primeiro e o mafioso tem-no na mão. Pensará que, com certeza um Galatassaray ou um Stoke City (clubes falados na imprensa) não terão problemas em pagar os 2 milhões exigidos por Casal, mais o salário pretendido. Mais a mais, será que Pinto da Costa mantém a oferta na mesa? Veremos.

Actualização 14/JUL/2015 20:19h:

http://www.abola.pt/clubes/ver.aspx?t=5&id=560106

«Há a oportunidade de ir para o FC Porto. Vou para Portugal e vamos ver o que definimos. Estou tranquilo, o que vier é a pensar na família, para que esteja bem. O futuro é isto. É uma mudança muito grande, nunca imaginei que pudesse chegar a este momento. O futebol é assim», afirmou esta terça-feira o lateral direito, em declarações à estação televisiva uruguaia Telemundo.

«Estive um ano a dizer que queria ficar no Benfica, mas o contrato foi chegando ao fim. Vim para a Copa América e disse desde logo que tudo poderia acontecer», recordou o jogador de 31 anos.


Ainda não oficializado, mas perto disso. Neste discurso, no entanto, lê-se resignação, não vontade de abraçar um novo desafio. Não são palavras alegres, determinadas e recheadas de energia perante um salto qualitativo e financeiro, mas sim de resignação.
Reafirmo que outras forças bem mais fortes que a paixão clubística forçam Maxi para este novo rumo na carreira, contra a sua vontade.

Actualização 15/JUL/2015 13:13h:

http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=962356

Maxi junta-se ao estágio do FC Porto e é, portanto, oficialmente jogador do clube. Paco Casal teve, portanto, mais força, e Pinto da Costa teve de manter a proposta e pagar tudo. Aparentemente, terá custado cerca de 7,5 milhões só em prémio de assinatura para Maxi e Casal... fora o salário. Promete, cumpre.
così, la cosa nostra".

Actualização 15/JUL/2015 14:07h:

http://www.abola.pt/clubes/ver.aspx?t=5&id=560266

Já integrado no estágio do FC Porto em Horst, na Holanda, Maxi Pereira proferiu as primeiras palavras como dragão. «Estou muito contente por estar aqui e fazer parte deste grupo», referiu, em declarações ao Porto Canal.

O jogador, que assinou contrato com os azuis e brancos válido por três épocas, estabeleceu ainda os seus objetivos:

«Quero integrar-me no grupo e ser mais um a trabalhar no duro para chegar ao objetivo, que é ser campeão pelo FC Porto.»

 

Actualização 16/OUT/2015 11:41h:

http://www.abola.pt/clubes/ver.aspx?t=5&id=577075

Maxi Pereira falou abertamente, pela primeira vez, sobre a polémica saída do Benfica para representar o FC Porto.

«No princípio foi um pouco complicado, é normal devido à rivalidade entre os dois clubes. Foi um golpe», reconheceu o lateral de 31 anos, em declarações ao diário uruguaio Ovácion.

«Estive oito anos no Benfica e na última temporada, quando o contrato estava a terminar, não fizeram muito para renová-lo», explicou Maxi Pereira, deixando uma interrogação no ar:

- Se queriam tanto um jogador como diziam, porque esperaram que o contrato terminasse?

«Quando é assim, não sei se o querem assim tanto. Fiquei um pouco magoado, senti que não me valorizavam. E o FC Porto foi-me buscar», terminou.


É claro que as vezes que Paco Casal não compareceu às negociações, adiando-as, e as exigências que vinha fazendo nada influiram nesta conclusão...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 14:11




Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds