Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Isaías no Benfica!


Primeira Liga 2017/18



Um espectáculo!

por Admirador do Isaías, em 21.08.17

Pouco tempo esta semana para escrever aqui acerca da jornada, mas não quero deixar passar a oportunidade de congratular a equipa do Benfica por um verdadeiro e cheio show de bola no Sábado frente ao Belenenses.

 

 

TODA a equipa esteve incrível. Jonas, Pizzi, Filipe Augusto (nem se sentiu a falta de Fejsa), Salvio, Cervi (sempre um descanso este trabalhador incansável), Seferovic, Jardel (a cada jogo que passa, cada vez mais o jogador do Tri), Raúl (é sempre a partir com ele, não há bola perdida), Bruno Varela (cada vez mais seguro no seu lugar). Ainda deu para ver Rui Vitória lançar Martin Chrien, que demonstrou bons detalhes. Um verdadeiro espectáculo!

 

Agora, foco total no Rio Ave, deslocação sempre difícil para defrontar um dos poucos clubes em Portugal que têm realizado um esforço de base para crescer com sustentação no futebol Português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 15:52


Cumprida a primeira etapa de ciclo difícil

por Admirador do Isaías, em 10.08.17

Sem ter sido uma entrada tão intensa como na Supertaça (também porque o adversário não deixou), o Benfica mostrou os seus pergaminhos de Tetra-Campeão. Foi uma primeira parte em que, após ter marcado o inaugural por Seferovic (mas 3/4 de golo é do Jonas) e o 2-0 por Jonas, que aproveitou a oferta do central contrário para mostrar arte na concretização, podia perfeitamente ter se encontrado a golear a equipa Bracarense. Contudo, quem não marca arrisca-se a sofrer e o golo do Braga perto do intervalo (desconcentração e lentidão inaceitáveis de Jardel, atenuadas pela falta de ritmo nesta fase, e uma mancha pouco sólida de Varela - atira-te com o torso e os braços à bola, não com os pés, miúdo!) podia ter relançado o jogo. Um penalty que ficou por assinalar sobre Jardel mesmo ao cair do pano podia ter dado essa tranquilidade bem mais cedo. Aqui o video-árbitro não se manifestou.

 

 

Só que o Benfica nunca perdeu o seu foco. Entrou na segunda parte com a mesma determinação ofensiva que lhe fizera chegar ao 2-0 antes. Num lance de Cervi (que é um CRAQUE, um descanso para qualquer treinador, tão bem que ataca e defende, sem nunca desistir de um lance), Salvio empurrou e recolocou a vantagem de dois golos.

 

Surge depois o lance da polémica do lado do Braga. Seferovic parece, a olho nu, estar a colocar em jogo Ricardo Horta. À primeira, pareceu-me, também, que não estava fora-de-jogo. Precisei de, à vontade, dezenas de repetições para pausar no ângulo em que se vê Seferovic e Horta ao mesmo tempo no plano. Aí, nota-se que está, de facto, ligeiramente adiantado (mais ou menos tanto como o Hassan no golo bem anulado anterior). Honestamente, não sei se foi capacidade do fiscal de linha ou um golpe de vista que correu bem. A verdade é que o video-árbitro concordou com a decisão, por ter tido a oportunidade que eu tive: a de rever o lance de vários ângulos, várias vezes. Bem decidido, afinal, após as dúvidas iniciais.

slb - scb - offside.PNG

 

O Benfica venceu bem, podia ter dilatado o marcador e acabou a controlar o adversário e a gerir o esforço (já pensando em Chaves). Cumprida a primeira etapa de um ciclo difícil.

 

NOTA: Não posso deixar de comentar aquela aziada conferência de imprensa do Abel, em que o seu lagartismo calimeriano veio todo à tona. Até posso aceitar que lhe tenham dito ou que ele tenha visto o lance polémico do fora-de-jogo de forma diferente. É um lance dos mais difíceis de analisar, particularmente porque o fiscal de linha está do lado do atacante. O que não posso deixar passar é aquela conversa dos orçamentos. Rui Vitória respondeu-lhe bem, referindo o Feirense que terminou próximo do Braga com um orçamento muito inferior e os anos em que teve de trabalhar com saldo negativo. Só que basta voltar a 2009/10 e perguntar qual a diferença de orçamento entre o Braga, que lutou até ao fim pelo título, e o Sporting ou o Porto dessa época. Mais a mais, aquele ressabiamento típico de neo-lagarto, a deixar, em ar de gozo, o desejo que o Benfica se dê mal na Champions, "porque lá é pequenino" (era isso que implicitava) demonstra bem o clube de onde vieste. Vai lá contabilizar, ó Abel, o número de meias-finais e finais das várias competições Europeias em que o Benfica participou. Vai lá ver quantas dessas aconteceram deixando pelo caminho equipas de orçamento muito superior? Eu já tinha escrito sobre o SC Braga aqui no blog e a sua intenção legítima de querer ser um dos grandes. Contudo, este é o tipo de caminho que os afastará de tal intento, por pretender chegar a grande sem antes se transcender. Olha, Abel, o Benfica na sua história, na fase de ascensão, com orçamento zero, sacou campeonatos ao Sporting que já pagava a jogadores.

Ficarão aqui na memória, estas tuas reflexões, ó Abel.

 


 

Actualização 10/AGO/2017, 11:50

Entretanto já me chegou que um site/blog afecto ao Sporting quer demonstrar e provar com a imagem abaixo que o golo do Braga não é obtido em fora-de-jogo:

Ridículo. Então e que tal, já que se deram ao trabalho de pôr as linhas, alinhá-las com o rabo do Seferovic, a sua parte do corpo mais atrasada que conta para efeitos de fora de jogo, ou com a cabeça/ombro do Horta, que é a mais adiantada que conta? Isso é que era, mas aí já não havia "prova".

 

Ri-dí-cu-los.


Continuo a dizer que este lance é muito difícil e que se fosse validado o golo não me chocava absolutamente nada. Já o penalty sobre o Jardel... é claro para todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 07:56


Fazer do ataque a melhor defesa

por Admirador do Isaías, em 14.03.17

Com o regresso à Liga, o Benfica tinha pela frente um Belenenses que vinha a melhorar bastante nos tempos recentes, podendo, fruto disso, vir jogar futebol à Luz... nos períodos em que o Benfica lho permitiu.

 

Entrando forte e determinado, procurando provocar o erro madrugador do adversário, o Glorioso adiantou-se no marcador num lance de crença de André Almeida e de infortúnio para o nosso conhecido Miguel Rosa. Curioso como o dedo é apontado ao jogador por querer atrasar de peito para o guarda-redes, mas ninguém parece compreender que nenhum dos seus companheiros, podendo ver a presença de uma camisola vermelha por detrás de si, lhe lançou o aviso.

 

De qualquer forma, após o golo obtido e mais uma ou outra jogada interessante e promissora, mas sem conclusão, o Belenenses começou a estabilizar e aproveitou o abrandamento Benfiquista para jogar. Arriscando uma defesa bem subida, com o sucesso de ter cortado três lances de perigo com essa "armadilha", os Belenenses começavam a acreditar que com um golo virariam o rumo do jogo. Só que ao intervalo estava 1-0. Resultado parco para justificar tanto abrandamento no Benfica, ainda que se possa explicar com alguma fadiga europeia, talvez.

 

Na segunda parte, os azuis quiseram realmente procurar a fortuna e o resultado e conseguiram, num par de lances, assustar a defesa do Benfica. Num deles, a bola vai ao poste (Miguel Rosa outra vez) e logo a seguir Mitroglou faz o 2-0 de forma espectacular. Foi fazer do ataque a melhor defesa, sem dúvida, mas abrandar com 1-0, que não é situação nova, é demasiado arriscado numa fase em que a margem de erro é mínima.

 

A partir daqui, mais seguro, o Benfica susteve o Belenenses sem sustos de maior e conseguiu o golo da tranquilidade pouco depois, por Salvio, arrumando a questão, indo ainda a tempo de ver Jonas regressar aos golos, após uma brilhante triangulação com Samaris (bom jogo) e Mitroglou, e também de ver André Horta regressar à equipa tanto tempo depois, ainda que só por 5 minutos.

Haverá campeonato até ao fim. Contudo, quem tem este ataque, tem a melhor defesa possível ao seu título de campeão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 10:02


Rui Vitória puxa "misters" de bancada à realidade

por Admirador do Isaías, em 23.01.17

O jogo de ontem começou bem, mas apresentou inexplicáveis nuvens do fantasma axadrezado da semana anterior. Perante um Tondela bem organizado defensivamente, tentando ser letal nas suas parcas investidas (e quase o foi, se o avançado que bateu Ederson não tivesse estado em fora-de-jogo), a equipa deixou-se abater, abalar um pouco pelas dificuldades, e complicava o que acabou por tornar simples na segunda parte.

 

A substituição de Cervi não teve a ver com o seu desempenho, a meu ver. Foi uma troca da explosão pura pela experiência que o jogo pedia - experiência essa de Salvio que acabou por libertar dois jogadores amarrados até então: Pizzi e Nélson Semedo.

 

Rui Vitória terá visto o que nós, os "misters" da bancada, provavelmente não vimos: que a baixa produção de Pizzi na primeira parte advinha da incorrecta ocupação dos espaços por parte dos alas, que tornavam a tarefa de distribuição, que o nosso número 21 desempenha, muito mais difícil. O Tondela organizou-se bem, sim, mas era o Benfica que estava a ser o seu próprio empecilho. A entrada de Salvio colmatou essa lacuna (e eu estava entre aqueles que um ano antes pensava que a utilidade do Salvio estava acabada, após a complicada lesão).

 

Foi um Benfica diferente e um Tondela que não soube adaptar-se à diferença, pois por mais bem organizada que uma equipa esteja pelo treino, é por norma a inteligência e visão dos jogadores que mais diferença faz entre grandes e pequenos. A partir daí, só deu Benfica e sabia-se que era uma questão de tempo aparecer o golo. Foi Pizzi, o tal que estava em tão evidente sub-rendimento na primeira parte e foi Pizzi que não só marcou mas que se soltou do espartilho táctico do Tondela pelo apoio e linha de passe rápida que passou a ter em Sálvio e Nélson Semedo, dupla rotinada e que sabe de olhos fechados que espaços ocupar.

 

Nós, Benfiquistas e treinadores cheios de conquistas nas fantasias das nossas mentes e que temos sempre razão na profundidade da nossa paixão pela nossa equipa, que queremos ver sempre vencer, fomos puxados à realidade por Rui Vitória com uma simples substituição. Como estava tudo diferente no Inverno de há um ano, não é? É tão bom estar errado.

 

Nota: Primeiro golo de Rafa! O primeiro de muitos, rapaz! Chuta à baliza!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:00




Admirador do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Petição


Isaías celebra o TRI!


Rui Vitória


Campeões Eternos


Cosme Damião


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds