Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Primeira Liga 19/20



Não chega! Pena efectiva e expulsão da PSP, no mínimo!

por Ao Colinho do Isaías, em 28.06.18

Prisão com pena suspensa para agente que agrediu adeptos do Benfica

Em tribunal, o subcomissário confirmou as agressões, mas afirmou que agiu por "medo" de ser agredido também.Primeira Liga, SL Benfica, Liga dos Campeões da UEFA, Vitória SC, Braga, CS Marítimo, Taça da LigaAs agressões ocorreram em 2015, nas imediações do estádio do Vitória de Guimarães CMTV

O agente da PSP que agrediu dois adeptos do Benfica ao soco e bastonada, depois de um jogo em Guimarães em 2015, foi condenado a três anos de prisão com pena suspensa e a pagar uma indemnização de 7236 euros.

O arguido estava acusado de dois crimes de agressão, dois de falsificação de documento e dois de denegação de justiça e prevaricação, por ter elaborado um relatório com dados "que não correspondiam à verdade, assim pretendendo justificar a conduta em que incorrera", escreve o Correio da Manhã. O tribunal deu como provados todos os crimes e o Ministério Público pediu a condenação do subcomissário da PSP, mas com uma pena não privativa da liberdade.

Subcomissário alega "medo" para justificar agressões a adeptos em Guimarães

Os factos remontam a 17 de Maio de 2015, depois de um jogo entre o Benfica e o Vitória Sport Clube em Guimarães. Filipe Silva, agente da Polícia de Segurança Pública, afirma ter sido agredido, injuriado e cuspido por um dos adeptos que ofereceu resistência à ordem de detenção. O outro agredido era pai do primeiro, que o quis defender.

O subcomissário admitiu as agressões em julgamento, mas afirma que agiu assim por “medo” de ser agredido. "Agi da forma que foi possível naquele momento de grande tensão e de adrenalina. O nível de força que utilizei não ultrapassou os limites máximos das normas de execução permanente".

A versão do arguido foi contrariada pelos dois agredidos, tendo o filho garantido que não injuriou nem cuspiu sobre o subcomissário e que apenas gesticulou, face à situação complicada que se estaria a viver no interior do estádio, onde os adeptos do Benfica ficaram retidos no final do jogo, num dia de "extremo calor" e de "muita confusão".

O pai negou igualmente que tivesse tocado ou agarrado Filipe Silva. "Vi o meu filho levar porrada de qualquer maneira e feitio, ia ajudar a ver se ele se livrava daquilo e também levei", descreveu.

Filipe Silva foi filmado a espancar um empresário de Matosinhos à frente do filho, nas imediações do Estádio D. Afonso Henriques, tendo trocado o bastão longo por um bastão extensível de aço enquanto agredia a vítima, como está patente nas imagens da CMTV e conforme confirmaram ao PÚBLICO fontes policiais.

Para além da investigação do Ministério Público, estas agressões originaram ainda um procedimento disciplinar contra o subcomissário, em 2015. com Lusa

 

Pena suspensa? Não chega! Pena efectiva e expulsão da PSP, no mínimo! Exige-se que seja feito dele um exemplo! Que nunca mais algo como isto torne a acontecer!

É que só foi tão valente precisamente porque não sentiu medo, porque agrediu um idoso e um cidadão desarmado! Seguramente que, perante os delinquentes que se servem do futebol para espalhar o vício da violência, seria o primeiro a fugir!

 

E não há pena para o outro polícia paspalho que é visto na filmagem só a olhar e ainda a protegê-lo? A Polícia é uma força que já só protege a sua própria existência e já não cumpre a sua função primária: a de exactamente proteger os cidadãos que este monte de esterco fardado agrediu!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

rematado às 13:35


Sou do Benfica! Que se f@€& a selecção!

por Ao Colinho do Isaías, em 27.06.18

 

  • Parece que há um grande incómodo por parte da FPF em relação às palavras do ex-seleccionador Carlos Queiroz, hoje seleccionador do Irão. Contudo, não houve nenhum incómodo por parte da FPF em relação a um ano de crime e calúnia por parte dos directores de comunicação de Porto e Sporting em relação ao Benfica.

  • Parece que há um grande incómodo por parte da FPF em relação à actuação do VAR no Mundial, nas decisões que envolvem a selecção Portuguesa. Contudo, não houve nenhum incómodo por parte da FPF em relação a um ano de penalties e expulsões perdoadas a Porto e Sporting.

  • Parece que há um grande incómodo por parte da FPF em relação à actuação agressiva do Irão frente à selecção Portuguesa. Contudo, não houve nenhum incómodo por parte da FPF em relação a um ano em que o Porto teve, jogo após jogo, actuações violentas, a ponto de um dos seus jogadores receber a alcunha de "vale-tudo".

 

Esta é a cultura desportiva de Portugal:

 

  • Quando as coisas nos correm de feição, há que ter civismo e desportivismo e sermos todos civilizados e perceber que é só um jogo e que ninguém está a conspirar, pois errar é humano e os árbitros são humanos.

  • Quando as coisas nos correm mal, é uma indignação, pois somos um país pequeno mas respeitável, que até tem o melhor jogador do mundo e a FIFA quer é eliminar Portugal.

 

Só que isto só se aplica à selecção! Na Liga Portuguesa está tudo bem, excepto se for contra o Benfica. E quando a nossa selecção estava na posição em que esteve o Irão, fizemos e dissemos tanto ou pior!

Este Brasileiro é que sabia e tinha razão:

É que esta selecção não é de todos, é da FPF - aquela entidade liderada por quem passava facturas para a corrupção no FC Porto e aquela mesma entidade que com o seu silêncio valida crimes e ataques constantes durante já anos contra o clube mais representado de Portugal:


o Sport Lisboa e Benfica.

 

Por isso, tal como o Brasileiro, eu sou do Benfica!
Que se f@€& a selecção!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:05


Mais um capítulo da rubrica "O Sporting não é isto!"

por Ao Colinho do Isaías, em 25.06.18

Árbitro do Sporting-Benfica agredido

 

Sérgio Magalhães, que domingo apitou o jogo entre Sporting e Benfica (9-6) a contar para a final do campeonato nacional de futsal, foi agredido na manhã desta segunda-feira, por um indivíduo com um pau e uma arma.

O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol esclareceu que o  ataque aconteceu quando o árbitro, residente no Porto, se deslocava para o emprego na sua viatura, sendo que foi necessário auxílio médico.

Recorde-se que o jogo entre Sporting e Benfica ficou marcado por várias expulsões e terminou com a vitória dos encarnados por 9-6. No final da partida, Miguel Albuquerque, diretor do futsal do Sporting, lançou fortes críticas aos árbitros do jogo três da final do campeonato do futsal. O dirigente leonino exigiu respeito e considerou «uma vergonha, o que se passou em campo»

Comunicado do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol:

«O árbitro de futsal Sérgio Magalhães foi esta manhã agredido junto ao seu local de trabalho por um indivíduo com um pau e uma arma, tendo recebido tratamento hospitalar.

Este ato cobarde já foi relatado às autoridades policiais, a quem foi apresentada queixa.

O Conselho de Arbitragem repudia este ato de violência e sublinha que o incitamento ao ódio, que continua a ser praticado repetidamente em Portugal, não pode ser dissociado deste tipo de incidentes.

O Conselho de Arbitragem está a prestar todo o apoio ao árbitro Sérgio Magalhães num momento grave e inaceitável, que nenhum agente desportivo merece viver.

O Conselho de Arbitragem da FPF»

 

O Bruno de Carvalho apenas trouxe à tona a verdadeira face da cultura da vitória por decreto e do anti-Benfiquismo, que reside sempre latente dentro do Sportinguismo. Como escrevi anteriormente, os "verdadeiros Sportinguistas" só se revoltaram com ele quando perante a iminente capitulação do seu clube. Até esse ponto, tudo foi aplaudido: ataques a outros Sportinguistas, também, mas especialmente, ataque ao Benfica e aos Benfiquistas. Agora, até se comportam à Macaco do norte.

Aqui estão "os diferentes".

O Sporting é isto!

 

Actualização 26/JUN/2018 10:38h:

 

"A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), repudia as palavras do Diretor da secção de futsal do Sporting, Miguel Albuquerque e a agressão ao terceiro Árbitro Sérgio Magalhães.

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), não pode deixar de repudiar as declarações efetuadas pelo Diretor da Secção de Futsal do Sporting Clube de Portugal, Miguel Albuquerque, após o final de mais um jogo da Fase Final da Liga Sport Zone.

Dada a gravidade das acusações proferidas, relativamente à equipa de Arbitragem e à "suposta forma" como a mesma se dirigiu aos jogadores do Sporting Clube de Portugal, em diversas ocasiões, a APAF exige que sejam apresentadas provas da real existência dos comentários dos referidos Árbitros.

O lamentável nível e tom de discurso apresentado ao longo de toda a sua intervenção, certamente, não se coadunam com os valores de uma instituição como o Sporting Clube de Portugal.

A brutal agressão sofrida pelo 3º Árbitro, Sérgio Magalhães, esta manhã, por parte de elementos encapuzados, quando se dirigia para o seu local de trabalho, pode, naturalmente, ser reflexo dos discursos incendiários a que infelizmente continuamos a assistir.

A APAF não pode aceitar este incendiar constante que os responsáveis dos clubes insistem em manter e irá analisar em conjunto com os Árbitros, ao longo dos próximos dias, qual o devido seguimento a dar a este triste episódio.

A APAF irá ainda apelar, junto das autoridades competentes, para que a segurança destes árbitros e respetivas famílias seja desde já assegurada.

Pela Direção da APAF
Luciano Gonçalves"

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 15:35


Futsal em superação incrível!

por Ao Colinho do Isaías, em 24.06.18

Uma vitória em constante superação, sempre no esforço contra um plantel com o dobro do orçamento!

Cristiano heroi, a jogar lesionado desde o jogo anterior!

 

Uma nota: desde o início do Cashball que parece que acabaram os benefícios às modalidades do Sporting. Até àquele estafermo do Nuno Dias, que passa OS JOGOS TODOS a insultar tudo e todos, tiveram coragem de expulsar. Sim, tiveram decisões injustas para o Sporting, mas foi igual para o Benfica. Como, aliás, disse o treinador adjunto do Sporting, «mudaram o critério». Pois foi, o "critério".

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 22:19


Qual foi a declaração que despoletou?

por Ao Colinho do Isaías, em 24.06.18

Precisamente porque já sabia que algo como isto iria acontecer, não comentei logo a votação que destituiu o Bruno de Carvalho de Presidente do Sporting.

 

"Calma. O homem do tremoço vai ser Presidente do quê? Da SAD??? Chega!!!! Se é assim que o Torres Pereira quer então vou à luta! Não Sousa Cintra, não és o Presidente da SAD pois para isso tens de passar por muitos passos. Agora acabou. Querem guerra. Eu compro! Vou impugnar a AG e o Presidente da SAD ainda sou eu! Vou a eleições. Vamos ver quem vence. Se são a maioria dos sócios ou os "podres" e os Viscondes! Eu vou à luta!" - Bruno de Carvalho

 

Qual foi a declaração da Comissão de Gestão que despoletou tal atitude? Ter um anti-Benfiquista primário como Sousa Cintra a gerir por ele durante uns meses? Não! Foi sim esta:

 

Torres Pereira frisou ainda que pretende "promover uma auditoria forense às contas da SAD e clube"


Isto é que, mais que o irritar, o amendrotou. Ele sabe e nós sabemos que no dia em que auditarem os seus anos de gestão, posará algemado na sua última foto no Sporting.

 

Parece que, realmente, a única forma de dar energia ao Sporting e o unir é promovendo o anti-Benfiquismo. A sério que em cento e tal anos não encontram outra forma? Enfim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 20:21


Cultura desportiva?

por Ao Colinho do Isaías, em 19.06.18

Adeptos do Japão limpam bancadas após o jogo com a Colômbia

Após a vitória do Japão sobre a Colômbia por 2-1, os adeptos nipónicos limparam as bancadas onde estavam, apanhando todo o lixo para sacos de plástico.

 

Cultura desportiva? Primeiro e antes, cultura!
O desporto segue-a então, de mãos dadas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 22:31


Videoárbitro Mundial

por Ao Colinho do Isaías, em 16.06.18

De acordo que Diego Costa fez falta antes do golo do empate de Espanha frente a Portugal.

De acordo que o VAR falhou nesse lance, tal como o árbitro.

 

Contudo, pergunto:

 

Porque não esta indignação generalizada quando o VAR falhou contra o Benfica?

Porque não esta indignação generalizada quando o VAR falhou a favor do Sporting e do Porto?

 

É que esta indignação generalizada por causa de um evidente erro do árbitro e do VAR que prejudicou a Selecção, pela sua ausência noutros momentos da competição nacional de clubes, demonstra bem a cultura desportiva miserável que se vive neste país.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 20:39


A responsabilidade não é de Bruno de Carvalho

por Ao Colinho do Isaías, em 12.06.18

Recentemente, tanto ilustres como desconhecidos Sportinguistas têm manifestado, de forma mais ou menos efusiva, a sua revolta perante a permanência de Bruno de Carvalho na Presidência do Sporting Clube de Portugal. Contudo, há que afirmá-lo, tal reacção não surge devido a afectações morais para com directrizes de gestão por parte do actual Presidente dessa instituição. Surge sim porque o Sporting perdeu quando ele prometera vencer e, agora, por sua própria culpa, perde também jogadores e, com isso, provavelmente, margem de manobra negocial em futuras transferências no futebol.

 

Isto é, os Sportinguistas só se revoltaram perante a iminente capitulação. Relembro que até depois do ataque em Alcochete e antes da final da Taça perdida, haviam imensas manifestações de apoio ao Presidente do Sporting!

 

Quando Bruno de Carvalho incitou, com o seu anti-Benfiquismo, vizinhos contra vizinhos, familiares contra familiares, colegas contra colegas, era um heroi para os Sportinguistas. Foi buscar Jorge Jesus para ser campeão e foi o gaúdio. Lançou a treta dos vouchers e os Sportinguistas uniram-se CONTRA o Benfica, sob uma fantasia de superioridade e soberba (sentimento aliás, sempre encontrado no Sporting em qualquer época). Quando se aliou a Pinto da Costa e sua turma e lançou Nuno Saraiva e jornalistas em jornais de referência numa campanha criminosa CONTRA o Benfica, era um divino César entre os cidadãos da Roma Sportinguista.

 

Panfletos de 2016, distribuidos anónimamente em Lisboa, página 1

 

Nem aos avisos de há dois anos nem a qualquer oposição foi dada atenção. Os sinais, os comportamentos, os evidentes traços de personalidade sempre lá estiveram, mas não foi por eles que os Sportinguistas se revoltaram. Revoltaram-se sim, apenas e somente, quando sairam derrotados em mais uma época desportiva, uma vez mais falhada por influência directa de Bruno de Carvalho e quando observam a sua Roma de Alvalade a arder, enquanto ele toca harpa e se inspira para mais umas ridículas conferências de imprensa!

 

Panfletos de 2016, distribuidos anónimamente em Lisboa, página 2

 Imaginemos pois que o Sporting tinha ganho os campeonatos nos últimos três anos, desde a chegada de Jesus. Que diriam os Sportinguistas? Algo semelhante, seguramente, ao que os Portistas disseram sob os primeiros anos da Presidência de Pinto da Costa no Futebol Clube do Porto:


«Aquilo é que é liderar! Pôs os jogadores e todos no clube na ordem! Reconquistou o clube aos traidores!»

 

Ainda em Fevereiro obteve cerca de 90% dos votos, enquanto liderava o clube com uma vasta maioria no acto eleitoral com maior número de votantes.

 

Por isso, Sportinguistas, anotem bem:

 

A responsabilidade não é de Bruno de Carvalho, pois ele é hoje o que sempre foi e nunca sequer se tentou esconder.
A responsabilidade é vossa e do vosso eterno, infinito e doentio anti-Benfiquismo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 12:46

Tal como indicado aqui, é evidente que mais e mais notícias visarão provocar dúvidas em relação à imagem do Sport Lisboa e Benfica. Por um lado, semear insinuações e acusações forjadas (como são exemplos a reportagem da SIC, os vouchers e até os emails), por outro, através de pontos de contacto com a comunicação social, transmiti-las de uma forma que faça transparecer culpa evidente, mesmo que sem prova ou fundamento, do Benfica.

 

Não estou com isto a dizer que quem integra a estrutura do Glorioso é santo, bem longe disso. Já repeti inúmeras vezes aqui, por exemplo, o quanto eu não gosto do tipo de pessoa que Vieira é. O que estou a dizer é que não gostar de alguém (porque não é Benfiquista mas trabalha lá, porque tem passado noutros clubes, porque cometeu erros ou foi incompetente) não retira nunca a presunção de inocência ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO.

 

O ónus da prova está do lado acusador, pelo que quem constantemente exige que o Sport Lisboa e Benfica, na pessoa de Luís Filipe Vieira, venha a público comunicar a defesa do clube de cada uma das diárias insinuações que se fazem, está a ser muito pouco sério. Primeiro, porque o clube tem um departamento de comunicação que serve para isso mesmo - e tem comunicado em defesa do clube por cada uma das insinuações e acusações - e depois, porque as pessoas têm de entender que, por muito que nos custe, o tempo romântico dos Presidencialismos apaixonados do passado reflecte-se hoje em dia em resultados como os que vemos por Alvalade com Bruno de Carvalho. Vieira não é nem apaixonado nem apaixonante, o que é adequado à realidade actual, no que concerne à gestão empresarial, POR MUITO QUE ESSA FALTA DE CHAMA MEXA COM A NOSSA PRÓPRIA PAIXÃO.

 

São tempos frios. São tempos estúpidos. São tempos materialistas.
Por isso, as consequências de posturas inflamadas no cargo máximo de um importante clube desportivo, cuja incidência da atenção social é máxima, serão, neste tempo, sempre semelhantes ao que se tem visto no Sporting: primeiro dão esmagadora maioria à paixão abrasadora, depois a paixão queima a própria casa e quem lá habita, obrigando-os a querer fugir, e depois opõem-se à paixão que tudo faz para continuar a arder junto da lenha que mais ama, consumindo-a no processo.

 

Vieira tem que ter é, isso sim, uma postura de gestor responsável, transmitir tranquilidade e normalidade - não só para sócios e adeptos, mas também para parceiros e potenciais investidores e patrocinadores - e deixar que o departamento de comunicação, por um lado, e o departamento jurídico, por outro, façam o que lhes compete.

 

A comunicação é imediata e nunca - repito: NUNCA! - será vista como suficiente por todos. Contudo, há coisas que a comunicação não pode ou deve dizer, por poder vir a afectar o trabalho do departamento jurídico.

O sistema judicial onde o departamento jurídico tem de funcionar é, contudo, MUITO LENTO. Por isso, demorou DOIS ANOS a demonstrar, provar, comprovar que a historieta dos vouchers são e sempre foram uma treta. Contudo, ao longo de dois anos, fomos sempre bombardeados por comunicação, social e pessoal, referindo-se à questão dos vouchers como um crime, uma ilegalidade, um motivo para o Benfica descer de divisão - e ainda iremos ouvir no futuro, apesar da última decisão da UEFA. Assim será com TODAS as outras insinuações que levaram a investigações.

 

Desmascarar, em público, um responsável por estas investigações, de seu nome Pedro Fonseca, ajudará a supervisionar os métodos investigantes e judiciais, cujas instituições estão absolutamente minadas, por décadas de hábitos de vassalagem cujos cordéis chegam a Pinto da Costa.

 

Eles, os nossos inimigos, sabem que o nosso "ponto fraco" é a honestidade, pois traz consigo, necessariamente, alguma ingenuidade. Aproveitando-se dessa ingenuidade, pretendem que se conclua entre nós que, "se há tanto processo, tanta investigação, tantas buscas, é porque se passa mesmo algo". Até pode passar-se algo, ninguém é 100% sério e honesto e não ponho as mãos no fogo por ninguém. Contudo, repare-se que os vouchers deram em nada (o Benfica deve agora agir judicialmente contra Bruno de Carvalho pelas calúnias), que os emails são uma mão cheia de nada sobre a qual se constroem narrativas ao gosto do freguês e que no e-Toupeira, AO CONTRÁRIO DO CASHBALL, ninguém do Benfica ficou em prisão preventiva ou sequer pagou fiança para sair: Paulo Gonçalves saiu em absoluta liberdade, com a excepção de não poder contactar com nenhum dos envolvidos. Isto são factos, não teorias ou ilações.

 

As coisas levarão tempo e, a haver culpa de alguém do Benfica, serão responsabilizados e devidamente punidos, todos concordamos. Até lá, temos de, infelizmente, nos habituar a que a comunicação social e os nossos inimigos nos tentem continuamente denegrir dia após dia. Quem de direito no clube irá agir perante cada um desses incidentes, mas Vieira, como Presidente e responsável máximo, não pode nem deve vir desgastar a sua imagem institucional (ainda por cima ele não é um bom comunicador por natureza), a responder pessoalmente à diária flatulência noticiosa.

 

Quem, como eu, escreve na internet, tem de ter sempre presente um sentido de responsabilidade e salvaguardar sempre o que é melhor para o Sport Lisboa e Benfica, o Glorioso, ao invés de aproveitar a espuma dos dias para querer demonstrar que se tem pessoalmente razão ou para agir sobre ódios (ou desgostos) pessoais contra quem quer que seja dentro do Benfica.

 

Temos de aproveitar o que tudo isto tem trazido de positivo: podemos hoje, com clareza, ver de entre aqueles que consideravamos pessoas inteligentes, dignas e de carácter, aqueles que apenas aguardavam uma desculpa para tentar destruir o nosso Benfiquismo. Hoje podemos vê-los pelo que realmente são. Como escrevi no título do post de ontem, a citação de Voltaire, eles guardavam escondido um amor que, por impossível na cobardia, só se pode manifestar em ódio:

«Como é duro odiar os que se gostaria de amar.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:54


"Como é duro odiar os que se gostaria de amar." - Voltaire

por Ao Colinho do Isaías, em 05.06.18

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 16:27




Ao Colinho do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Jorge Jesus? Nunca Mais!


Jonas, um de nós!


Campeões Eternos


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Junho 2018

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds