Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




PluribusUnum7: Palavras Sábias

por Ao Colinho do Isaías, em 02.10.17
Comentário de
 
PluribusUnum7 a 02 outubro, 2017 14:25 no Novo Geração Benfica:

 

Desilusão

É este o sentimento que se apoderou de mim nos últimos dias. Podem pensar que é da equipa, do treinador, dos dirigentes ou de qualquer outra pessoa que trabalha no Benfica. Mas não. Estou desiludido com os Benfiquistas nos quais me incluo. Estou desiludido pela facilidade com que 2 directores de comunicação conseguiram pôr em prática um plano tão simples.

Em termos de arbitragem fizeram o que costumam fazer. Gritaram que o Benfica era o grande beneficiado. Todos os jogos nas primeiras jornadas encontraram erros a favorecer o Benfica. Nessas semanas nunca se falou dos grandes jogos que o Benfica fez. Na Supertaça foi o primeiro golo que era precedido de uma falta. Na primeira jornada foi um golo anulado ao Braga. Na terceira jornada foi o Eliseu. Do futebol que estávamos a praticar nunca se falou.

Mas o plano não se ficou por aqui. Desde o final da época passada começou a haver uma quantidade de comentários anónimos em fóruns e blogues Benfiquistas sempre com o mesmo discurso. As vendas, o passivo que não desce (mesmo sem o relatório de contas ter saído), a defesa, o número 8, o guarda-redes, o Mitroglou, etc, etc.

Eu digo que até achei patética essa estratégia, mas eis que de repente, após 4 jogos em que praticamos um grande futebol, empatamos um jogo em Vila do Conde. Bastou isso. Um empate para todo aquele burburinho criado com antecedência dar frutos, e tudo e todos serem postos em causa. Desde aí a equipa joga sobre brasas. No jogo seguinte com o Portimonense a equipa já era assobiada no seu próprio estádio e a partir daí foi uma bola de neve.

E depois olhamos para os planteis e eu penso. Mas somos mesmo pior que os outros? Um frango do Varela é pior do que um do Casillas? André Almeida é pior que Piccini? Porque é que se fazem contagens dos jogos em que Grimaldo ficou de fora desde que está no Benfica (mesmo a primeira meia época em que ficou de fora por opção) e não se contam os de Coentrão no mesmo período? Por que é que a idade do Luisão incomoda e a de Mathieu não? Ter Fejsa, Samaris e Filipe Augusto não é melhor do que Danilo e mais ninguém ou William e mais ninguém? Pizzi é pior que Battaglia ou Oliver? E se nenhum destes 3 poder jogar, Porto e Sporting têm alternativas mais válidas do que o Benfica para os substituir? Ter 4 ou 5 extremos de qualidade é pior do que ter 2 de qualidade e não ter ninguém para os substituir como acontece com o Porto e Sporting? Ou ter 4 avançados de qualidade é pior do que ter apenas 2/3 como os outros?

Mas mesmo para os que não pensam como eu tenho uma novidade. Até 1 de Janeiro o mercado não volta a abrir e são estes que temos de segurar. São estes que não podemos deixar cair.

Quem está a ser fraco no meio disto tudo não são os jogadores, treinadores ou dirigentes. Quem está a ser fraco e comido de cebolada somos nós que não paramos de aumentar o ruído em torno da equipa. Somos nós que estamos a fazer de uma equipa vencedora, uma equipa que duvida de si própria, enquanto outros sem títulos nos últimos anos jogam tranquilos e sem qualquer pressão.

Eles não vão ganhar sempre, bem pelo contrário. Os problemas mais cedo ou mais tarde vão aparecer. Nós temos é que estar em posição de aproveitarmos esses momentos maus que eles vão ter. Mas para isso temos de voltar a ser Benfica. E para voltarmos a ser Benfica temos de olhar para o nosso símbolo, ler o lema que lá está inscrito e colocá-lo em prática.

E PLURIBUS UNUM

 

<--->

 

 Acrescento de minha lavra:

 

Ontem que percepção transpareceu do jogo da equipa?

Entrou a marcar, num terreno impraticável. Enfrentou um Marítimo organizado, mas incapaz de suster o jogo do Benfica (mesmo sem ser avassalador), contando com um guarda-redes em grande nível que impediu o segundo golo em diversas ocasiões, junto com alguma sorte dos seus defesas. Esta foi a equipa até pouco antes de sofrer o empate. Depois, depois sim, caíram-lhe novamente os fantasmas em cima, concordo, mas até ao empate? Bastava que uma das bolas que Charles defendeu, ou que bateram num defesa, tivesse entrado. Quantos jogos assim já ganhámos a partir das bancadas?

Honestamente, não jogámos nem melhor nem pior que em Chaves e aí ganhámos e estávamos todos com a equipa. No ano do Tri, ganhámos no Bessa jogando bem pior que neste ano. Foi uma festa - "os campeões fazem-se de jogos assim", dizia-se na altura.

 

Não estou a dizer que não podemos nem devemos ter opiniões. Estou a dizer que mesmo sabendo que, por exemplo, um filho ou amigo nosso está com problemas na missão que tem em mãos, a última coisa que se pode fazer é deixar afundar. Podemos aconselhar, até passar raspanetes, mas isso tudo fora do olho público. Entendam, de uma vez por todas que a internet, o Facebook, os blogues, os comentários nos sites dos jornais, são espaço público - e mais: público e anónimo. No café ainda se sabe quem disse o quê.

 

A percepção dos Benfiquistas no geral em relação à equipa está definitivamente negativa, reforçada que foi pela desorientação com o Portimonense, pelo resultado do Bessa e pela vergonha em Basileia. Contudo, na minha opinião, a mesma foi influenciada de fora, daí concordar com este comentário que coloquei em destaque aqui.

 

Então quando li um post, no mesmo blog de onde veio este comentário, a demonstrar grandes saudades de Jorge Jesus porque conseguia "esmagar os adversários" e encher estádios com futebol espéctaculo, tive a certeza de que há forças externas a aproveitar-se da emotividade Benfiquista. Jorge Jesus ganhou tanto quanto perdeu em seis anos. Até de um Hapoel de Tel-Aviv levámos 3-0, sem serem mais porque o adversário não tinha mais para dar. Rui Vitória, por sua vez, em dois ganhou bem mais do que perdeu. Só que as pessoas teimam, inadvertidamente, a confundir calma e carácter com fraqueza, enquanto associam manha e arrogância a competência - este foi o legado comunicacional de Mourinho, que Jesus aproveitou para elevar a sua personalidade, só que Mourinho é muito melhor que Jesus, tal como Rui Vitória o é. O Tri e o Tetra, com os problemas pelos quais os planteis passaram, tinham ardido com Jesus (como aliás arderam para o Sporting e com um salário absurdo).

 

Ainda ontem vimos um Sporting a jogar em casa, amedrontado e sem conseguir sair para o ataque durante os noventa minutos, por um Porto cuja única arma é a velocidade e força física de Aboubakar e de Marega (veremos quando houver lesões ou impedimentos).

 

A equipa do Benfica está a jogar ao nível que nos habituou no passado recente? Não. Só que daí a fazer-se este apedrejamento público de alto a baixo, a partir de um empate fora, é inteiramente inapropriado.

 

A época foi mal planeada? O presidente vende jogadores a mais? O treinador insiste nos jogadores em que crê e que sabe que são muito mais que estes últimos jogos? Isso é conversa que podemos ter, com certeza, mas sem esta berraria de fim-de-mundo, pois com isto só estamos a moralizar um Porto que quer dar aparência de forte mas que para além de estar com a faca na gargante, conta com um desmancha-balneários que só deixou cacos em Coimbra, Braga, Guimarães e até Nantes. Estamos a dar força ao balneário e à liderança deste arruaceiro que agora até só fala do Benfica para dizer que "a crise está à vista" - isto é conversa para os dele, não para nós! Ele até já diz que vai ser campeão! Não percebem a ligação das coisas?

 

Houve eleições recentemente, não houve? Apareceu oposição a Vieira? Não. Então ao fim de quatro ou cinco jogos maus depois do Tetra, querem substituí-lo por quem? Eu reafirmo que não gosto de Luís Filipe Vieira pessoalmente, não gosto do tipo de pessoa, não gosto do tipo de gestão (mas entendo o resultado e o rumo, não gosto do método), não gosto da forma como se pavoneia à custa do Benfica, mas quem queriam agora, neste preciso momento, ao fim destes anos todos, que o substituísse? Que aparecesse um salvador, de repente, saído de um bolso qualquer, que visse, com uma revolução estilhaçar o resto dos ânimos? Então o ano passado foi enaltecido como Presidente sem concorrência, com grande votação, e agora já é para queimar?

 

Haverá tempo e espaço próprio para debater e até encontrar alternativas, se for o caso, tanto para Presidente como para Treinador, como para Jogadores.

Mas agora, vamos lá ter calma e focarmo-nos no importante.

 

São bons ou maus jogadores, são bons ou maus treinadores, tudo isso debatível e discutível, mas são do Sport Lisboa e Benfica e envergam o manto sagrado.

Depois fazem-se as contas e pedem-se responsabilidades (ou atribuem-se louros), mas neste momento não há dragarto que me faça virar contra a minha Luz. Mantê-la-ei acesa contra o vendaval que querem montar à nossa volta e demonstrarei, mesmo discordando, lealdade para quem representa, trabalha e já elevou o símbolo do Glorioso a conquistas tão importantes e celebradas.

 

PluribusUnum7: Palavras Sábias, Grato!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 19:57




1 comentário

De Ricardo Fernandes a 03.10.2017 às 10:23

Olá Isaias,

Estamos no século XXI. Hoje já não há conversas de café, há o facebook, há as redes, há os blogs. Toda a gente tem uma opinião e toda a gente tem direito a uma. São os novos tempos, há que saber adaptar-se a eles e não estar constantemente com a ladainha que o barulho faz mal à equipa. Tem de se habituar, como nós nos habituámos a tudo o resto que é evolução. Hoje com o acesso à informação que existe, há um maior conhecimento do jogo e dos processos, pelo que mais gente poderá aportar defeitos e culpas, algumas por vezes injustificadas, mas é assim a vida.

Há imensos pontos que não concordo contigo. Por exemplo onde Rui Vitória é melhor que Jorge Jesus. Não o é. E este não é, nada tem que ver com liderança, postura ou maneira de estar. Agrada-me mais ter alguém como Vitória, porém começo a ficar cansado das frases feitas. O que não é melhor é tacticamente. JJ falhou e falha porque deixa que a sua prepotência e arrogância lhe toldem e acabem por minar o seu sucesso, como aconteceu o ano passado no pós Madrid. Independentemente disso, é notável que o seu trabalho em campo e no treino é melhor que o de Rui Vitória. Desde o início que a base e modelo de jogo de JJ são usadas neste Benfica de RV. Toda e qualquer variação que colocou em campo, foi para pior e não para melhor. Mesmo no primeiro ano, onde consegue aportar uma dinâmica diferente à equipa (muito mais pelas lesões do que pela inclusão de Renato - senão veja-se como é jogar com um extremo que também apoia o meio campo e deixar de ter Luisão para ter saída de bola com Lindelof), optava por insistir em variações que em nada beneficiam um clube superior como o nosso. Só defende em bloco, não ataca em bloco, nem estica a equipa - subindo a defesa e permitindo aos médios estar mais junto dos avançados, que raramente descem, para impedir o adversário de progredir. É uma espécie de uma linha de 6 atrás da linha de bola. Mais, não há uma jogada de laboratório, nem em cantos, nem em lançamentos, nem em livres indirectos. Sempre da mesma forma, sempre tentando o mesmo esquema, vezes e vezes sem conta, como se por repetir o erro inúmeras vezes acabará por começar a correr bem, só porque sim. A táctica tem de ser sólida, segura e aportar soluções À equipa. Não tem de ser o caminho mas tem de dar opções de caminho, para que mesmo quando as melhores unidades não estejam na sua melhor forma, a equipa possa ganhar, possa ter alternativas e caminhos para chegar lá À frente. E o que tens no Benfica de Rui Vitória é a ausência de caminhos. Quando algo corre mal, é aos tropelões lá para a frente sem nexo, nem critério. Parece que sem os melhores, nas melhores condições, nada funciona e a verdade é que é a táctica potencia os jogadores, não são os jogadores que potenciam a táctica.

Além disso, há que ter sempre presente que não há tácticas perfeitas. JJ foi o rolo compressor quando chegou ao SLB, porque era tudo novidade. Hoje, 8 anos depois não é igual, porque à sua volta, tudo evoluiu e hoje sabe-se parar JJ. Ora se o modelo de Vitória não inova sobre isso e continua igual, sem unidades melhores que façam a diferença é impossível ganhar.

Os benfiquistas não estão longe da equipa. Os Benfiquistas só querem ver o Benfica ganhar. E o que eles vêm hoje é que o tetracampeão, não consegue ter soluções para contrariar o mais simples adversário. O que vêm é erros de colocar tipos velocistas e de transição em jogos de batatais ou tirar extremos para por avançados, depois pondo os outros extremos a defesas, quando as coisas correm mal. Não há um remate de longe. Não há uma ideia.

E isto não vem de um empate fora, como é óbvio.

Ao comentar coloque, por favor, um nome no campo respectivo ou faça login através do Sapo ou do Facebook. Isso irá facilitar a identificação nos diálogos:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ao Colinho do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Jorge Jesus? Nunca Mais!


Jonas, um de nós!


Campeões Eternos


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog







subscrever feeds