Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Primeira Liga 18/19



O ponto do Marquês

por Ao Colinho do Isaías, em 30.01.18

Dos inumeráveis tipos de Benfiquistas, destaco neste momento dois:

 

- Os "Exigentes", que não perdem uma oportunidade para cantar a todos os ventos o quanto têm razão na sua incessante "crítica" e apreciações aparentemente infalíveis, para quem o mais importante e relevante é eles terem razão (aproveito para fazer notar que o actual Presidente do Sporting Clube de Portugal pertencia a este grupo equivalente no clube nosso rival).

 

- Os "Presentes", que, apesar de tudo que se passou dentro e fora das quatro linhas, se aperceberam que aquele golo de livre do Jonas, no último suspiro depois de ter falhado o penalty, aquele pressing desorganizado já no final após ter sofrido um golo injusto, aquela ausência de festejo no empate, a recuperação de um ponto quando tudo parecia perdido, representam o ponto de encontro com Krovinovic. Este foi o ponto do Marquês.

 

«Vemo-nos no Marquês»

 

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

 

- Vinícius de Moraes, "Soneto da Fidelidade"

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 12:56


Um espectáculo!

por Ao Colinho do Isaías, em 21.08.17

Pouco tempo esta semana para escrever aqui acerca da jornada, mas não quero deixar passar a oportunidade de congratular a equipa do Benfica por um verdadeiro e cheio show de bola no Sábado frente ao Belenenses.

 

 

TODA a equipa esteve incrível. Jonas, Pizzi, Filipe Augusto (nem se sentiu a falta de Fejsa), Salvio, Cervi (sempre um descanso este trabalhador incansável), Seferovic, Jardel (a cada jogo que passa, cada vez mais o jogador do Tri), Raúl (é sempre a partir com ele, não há bola perdida), Bruno Varela (cada vez mais seguro no seu lugar). Ainda deu para ver Rui Vitória lançar Martin Chrien, que demonstrou bons detalhes. Um verdadeiro espectáculo!

 

Agora, foco total no Rio Ave, deslocação sempre difícil para defrontar um dos poucos clubes em Portugal que têm realizado um esforço de base para crescer com sustentação no futebol Português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 15:52


Fazer do ataque a melhor defesa

por Ao Colinho do Isaías, em 14.03.17

Com o regresso à Liga, o Benfica tinha pela frente um Belenenses que vinha a melhorar bastante nos tempos recentes, podendo, fruto disso, vir jogar futebol à Luz... nos períodos em que o Benfica lho permitiu.

 

Entrando forte e determinado, procurando provocar o erro madrugador do adversário, o Glorioso adiantou-se no marcador num lance de crença de André Almeida e de infortúnio para o nosso conhecido Miguel Rosa. Curioso como o dedo é apontado ao jogador por querer atrasar de peito para o guarda-redes, mas ninguém parece compreender que nenhum dos seus companheiros, podendo ver a presença de uma camisola vermelha por detrás de si, lhe lançou o aviso.

 

De qualquer forma, após o golo obtido e mais uma ou outra jogada interessante e promissora, mas sem conclusão, o Belenenses começou a estabilizar e aproveitou o abrandamento Benfiquista para jogar. Arriscando uma defesa bem subida, com o sucesso de ter cortado três lances de perigo com essa "armadilha", os Belenenses começavam a acreditar que com um golo virariam o rumo do jogo. Só que ao intervalo estava 1-0. Resultado parco para justificar tanto abrandamento no Benfica, ainda que se possa explicar com alguma fadiga europeia, talvez.

 

Na segunda parte, os azuis quiseram realmente procurar a fortuna e o resultado e conseguiram, num par de lances, assustar a defesa do Benfica. Num deles, a bola vai ao poste (Miguel Rosa outra vez) e logo a seguir Mitroglou faz o 2-0 de forma espectacular. Foi fazer do ataque a melhor defesa, sem dúvida, mas abrandar com 1-0, que não é situação nova, é demasiado arriscado numa fase em que a margem de erro é mínima.

 

A partir daqui, mais seguro, o Benfica susteve o Belenenses sem sustos de maior e conseguiu o golo da tranquilidade pouco depois, por Salvio, arrumando a questão, indo ainda a tempo de ver Jonas regressar aos golos, após uma brilhante triangulação com Samaris (bom jogo) e Mitroglou, e também de ver André Horta regressar à equipa tanto tempo depois, ainda que só por 5 minutos.

Haverá campeonato até ao fim. Contudo, quem tem este ataque, tem a melhor defesa possível ao seu título de campeão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 10:02


Ao insulto se responde vencendo e andando

por Ao Colinho do Isaías, em 24.10.16

Durante o minuto de silêncio, foi bem audível uma voz de alguém que, aproveitando o holofote providenciado pelo momento de respeito que todo um estádio observava, decidiu lançar um grito em que comparava o Benfica à sua vida pessoal. É certo que a vida não é fácil e que por vezes são necessários momentos de escape. Contudo, temos de agradecer àquela voz a motivação extra. Particularmente quando o seu grupo quis dar seguimento àquele mote e encher o silêncio com mais cânticos de insulto.

 

Eram da claque do Belenenses? Eram adeptos de outro clube?

 

...

 

De tal forma funcionou essa motivação adicional que o Belenenses foi dominado quase em absoluto pelo bom futebol Benfiquista que, no entanto, teimava em não arrumar o jogo devido a alguma indefinição na finalização.

 

O mau tempo na segunda parte diminuiu o nível de futebol, de alguma forma, mas foi sempre o Benfica a ter o controlo das operações até que o segundo golo trouxe o tónico de tranquilidade mental. Podíamos ter feito mais golos, mas vencer é que acabou por ser importante.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:42


Espero que haja bom senso e Benfiquismo...

por Ao Colinho do Isaías, em 16.09.16

Espero que haja bom senso e Benfiquismo e que esta notícia de A Bola acerca do campeonato de Futsal da época passada não seja mais que especulação. Caso contrário começamos a parecer quem mais criticamos!

 

Benfica vai pedir impugnação do campeonato 2015/2016
09:51h - 16-09-2016
 
O Benfica vai avançar junto da Federação Portuguesa de Futebol com um pedido de impugnação do campeonato de futsal 2015/2016, ganho pelo Sporting - que bateu precisamente as águias na final do play-off. Na base desta decisão está um acórdão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), que deu provimento parcial ao recurso apresentado pelo clube da Luz na sequência da decisão da secção não profissional do Conselho de Disciplina da Federação, que no final de abril puniu os encarnados com pena de derrota no jogo com o Belenenses (9.ª jornada, a 31 de outubro de 2015) por transmissão diferida não autorizada da partida na BTV.

Entendeu o TAD que apesar de o Benfica ter violado a alínea c) do n.º 1 do artigo 80.º do Regulamento Disciplinar da Federação Portuguesa de Futebol - decidindo por isso manter a multa de 204 euros a que as águias foram condenadas -, a pena de derrota, prevista no regulamento, viola o «princípio da proporcionalidade previsto no artigo 7.º do Código de Procedimento Administrativo».

«O recurso à derrota-sanção para punir transmissões não autorizadas de um jogo na íntegra e em diferido não tem uma natureza necessária e adequada e apresenta-se como excessivo relativamente aos objetivos da entidade que aprovou o regulamento. […] Não se afigura necessário o recurso à derrota-sanção, motivo pelo qual a sua previsão na alínea c) do n.º 1 do art.º 80.º do Regulamento Desportivo da Federação Portuguesa de Futebol é excessiva», pode ler-se no acórdão a que A BOLA teve acesso.

A decisão do TAD é clara: «É dado provimento parcial ao recurso, revogando-se a deliberação do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol - secção Não Profissional - no processo n.º 68/15-16, na parte respeitante à aplicação da sanção ao SLB da derrota no jogo n.º 510.001.059 realizado com o Clube de Futebol Os Belenenses no dia 31/10/2015, às 16 horas.» O termo parcial é usado porque, como já escrevemos, a multa foi mantida pelo TAD.

A ARGUMENTAÇÃO DAS ÁGUIAS

Perante esta decisão, o Benfica vai agora avançar com o pedido de impugnação do campeonato, com base no argumento de que a competição foi desvirtuada, «por terem participado no play-off equipas que não deveriam lá estar», segundo avançou ao nosso jornal fonte do emblema da Luz. É verdade que para os encarnados a perda de três pontos não causou dano de maior - acabou a fase regular no segundo lugar, como acabaria mesmo que não tivesse havido a decisão, só que com menos três pontos.

Mas também é verdade que com a atribuição da vitória ao Belenenses, o clube do Restelo acabou por ficar à frente do Leões de Porto Salvo - porventura o maior prejudicado com este caso -, que deverá muito em breve pronunciar-se sobre esta decisão do TAD, que é apresentado no acórdão como «contrainteressado».

A QUESTÃO DO 8.º LUGAR

Para melhor se perceber como a decisão do Conselho de Disciplina afetou a luta pelo 8.º lugar, fazemos um breve resumo do que aconteceu nos dias que antecederam a última jornada da fase regular da 1.ª Divisão de futsal - quando se soube da punição ao Benfica e da consequente atribuição dos três pontos ao Belenenses.

Azuis e Leões de Porto Salvo estavam, antes de ser conhecida a sentença do CD, separados por apenas dois pontos - a equipa do Restelo à frente, no oitavo posto. Depois de sair a decisão, os azuis ficaram com cinco pontos de avanço e com apenas um jogo por disputar o Leões perdia a possibilidade de lutar pelo acesso ao play-off. Na última jornada o Belenenses acabaria por perder, em casa, com o Quinta dos Lombos (3-5) e o Leões de Porto Salvo ganhou ao São João (5-3). No final da fase regular os de Belém acabaram no 8.º lugar com 32 pontos, os de Porto Salvo em 9.º, com 30. Ou seja, sendo a sentença do CD revogada pelo TAD, o Belenenses terminaria com 29 pontos, ficando, por isso, fora do play-off.

Tendo em conta que o Sporting acabou por defrontar o Belenenses nos quartos de final (o 1.º da fase regular joga sempre com o 8.º), entende o Benfica que o adversário dos leões teria de ser o Leões de Porto Salvo, pelo que defende ter sido desvirtuada a competição. E claro, falta saber a reação do emblema de Porto Salvo, o maior lesado nesta situação, porque a ausência do play-off acarreta sempre perdas a nível financeiro…

 

O Sporting saiu vencedor mas poderia ter sido o Benfica, dado que ambos disputaram a final. Nesse caso, como seria? Estaria tudo bem? O resultado em causa não foi num dos jogos da final, nem sequer dos play-off. A discussão do 8º lugar não me parece matéria para que se envergonhe a réstia de desportivismo e bom senso que ainda possa existir.

 

Se isto avançar, será absolutamente vergonhoso. Uma coisa será pedir uma compensação à federação (especialmente para os Leões de Porto Salvo, os maiores lesados) e garantir que as regras do campeonato contemplam estas questões de outra forma doravante. Outra será tentar obter uma vitória que se perdeu no pavilhão à melhor de 5.

 

Repito: espero que seja só especulação por parte da comunicação social!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 12:54


Hoje e não ontem

por Ao Colinho do Isaías, em 09.02.16

É hoje e não ontem que publico o post relativo ao jogo no Restelo. Porquê? Porque faltava o jogo de segunda-feira em Alvalade, um jogo que, sentia, teria um desfecho favorável ao Sport Lisboa e Benfica.

O meu pressentimento estava correcto. A goleada ao Belenenses coloca o Benfica, pela primeira vez esta época, em primeiro lugar.

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

 

Hoje e não ontem.

Ontem fomos medíocres. Hoje praticamos o melhor e mais eficaz futebol em Portugal.

Nada está ganho, longe disso, mas hoje (ou melhor dizendo, na próxima sexta-feira) começa um novo campeonato. O de ontem, aquele do previsto calvário imenso até Maio, já lá vai.

 

Quanto à equipa de futebol do Sporting Clube de Portugal, apenas uma reflexão acerca desta época do ano:

 

O Carnaval é uma festa que é marcada pelo "adeus à carne" que a partir dela se fazia um grande período de abstinência e jejum, como o seu próprio nome em latim "carnis levale" o indica. Para a sua preparação havia uma grande concentração de festejos populares. Cada lugar e região brincava a seu modo, geralmente de uma forma propositadamente extravagante, de acordo com seus costumes.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Carnaval

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:22


Meia Dúzia!

por Ao Colinho do Isaías, em 14.09.15

Não é por ter sido meia dúzia que agora passou a estar tudo bem, mas sem dúvida alguma que o Benfica que defrontou, na sexta-feira, o Belenenses, foi outro distinto e que ainda só tinha aparecido durante 15 minutunhos perante o Estoril.

O golo cedo ajudou, com certeza. A confiança de estar à frente libertou os jogadores para uma exibição magnífica. Parece-me também que os jogadores estão agora mais "disponíveis" fisicamente. Defensivamente não houve qualquer margem para que os azuis do Restelo pudessem espreitar a baliza de Júlio César.

O posicionamento e interajuda no processo defensivo foram quase perfeitos: Os laterais já fecham interiormente (Eliseu ainda é muitas vezes apanhado a defender por fora e parece não conseguir corrigir), Samaris foi uma rolha no meio campo, mantendo a defesa impermeável, Luisão voltou a ser comandante com o imediato Jardel a seu lado.

O processo ofensivo também já teve o jogo interior em sucessão rápida de passes que parte as defesas contrárias. Assim sim. O primeiro golo foi fruto de uma movimentação de Jonas "à Lima", que cruzou para Kostas "Tacuara" Mitrogolo finalizar como se fosse Paraguaio desde pequenino (se alguma vez foi pequeno!). Foi um cruzamento com critério, criando a movimentação o espaço entre os dois centrais que o Grego usou para facilmente ganhar o lance a Tonel. A partir daí, viu-se o rolo compressor. Rápidos na bola recuperada, intensos nos passes, no querer marcar mais, na gestão defensiva feita em ataque continuado. Os outros golos foram surgindo naturalmente, as falhas defensivas inevitáveis para quem é exposto a tamanha pressão.

A história desta partida conta-se pelos golos e pelas ocasiões que não entraram para o Benfica. O Belenenses não fez mais porque o Benfica não deixou. Jonas foi o goleador do costume, sempre frio e certinho na finalização, Gaitán deslumbrou e até Talisca voltou aos petardos.


Se isto foi fruto do trabalho de Rui Vitória, então, desta vez, conta com o meu aplauso imenso. Há que manter este caminho agora! Muito do que acusei, vi corrigido, mas um jogo não basta. No Benfica, só todos os jogos contam!

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 10:49


Vá de retro, Satanás!

por Ao Colinho do Isaías, em 18.05.15

Nem o Satã conseguiu impedir o 34, o BI, para o Sport Lisboa e Benfica!

Houve o bruxo de Fafe, seu amigo pessoal, com quem, aparentemente, partilha umas cabidelas à ceia, mas houve também o da Praia da Vieira (não do Vieira, atenção), que cobrou um favor a Deus (e fez um ensopado muito duvidoso!) para expurgar a influência demoníaca.


Quem viu o jogo no D. Afonso Henriques bem podia ficar a pensar que era o menino com o 666 no alto da peúga quem comandava a bola, tal era o "tiro ao boneco" e a enorme "sorte" que protegia a baliza do Vitória (bom, sorte e um fiscal-de-linha vesgo)! Era no poste, era no nariz, na bochecha, na bancada - em todo o lado a bola acertava menos no fundo das redes. Era o tio S, o Rabudo, a fazer das suas, só podia!

Depois ouviu-se a notícia do golo do Porto. Com todo este azar, apesar do domínio da equipa encarnada, será que teríamos o BI já? A equipa começou a ficar nervosa, pouco esclarecida, mas manteve-se sólida. Na segunda parte, houve um pouco mais de Vitória, mas o Benfica manteve o controlo. Só que os minutos passavam e o Glorioso teimava em não marcar. O relógio continuava a sua dança, os 90' aproximavam-se e... nada! Nem a Onda Vermelha conseguia empurrar a bola para a baliza do Guimarães.

E pouco depois... GOLO!!! Festejos nas bancadas, enorme grito de celebração... mas... a bola não entrou... terá sido? SIM! Golo do Belém!!!

Bastava aguentar. Aguentou-se. Foram minutos de grande tensão, nervosismo, vontade de euforia. O apito final trouxe uma enorme alegria a todo um país - a todo um mundo.

O SPORT LISBOA E BENFICA conquistou o 34º título de Campeão Nacional e sagrou-se BI-Campeão!


Só que o Satã, aborrecido por ter sido contrariado no favor que tentava prestar ao seu grande amigo de Fafe, tomou posse das almas dos seus mais fiéis servos e tratou de estragar a festa. Havia que punir a alegria que o envergonhava, a ele que tão poderosamente se tinha implantado neste jardim à beira-mar plantado e que fazia do futebol o seu joguete preferido! Não podia ser. O orgulho do Demónio é coisa séria e tem de ser protegida.

PSP começa em Guimarães e acaba no Marquês


O Vitória lamentou-se que os adeptos do Benfica lhes vandalizaram a casa. Não sou nada a favor deste tipo de coisas, não sou de todo. Ainda assim, parece-me ter sido um esquema por parte do Presidente de Assembleia Geral do Vitória para sacar dinheiro à Seguradora. É que não se provoca um gigante assim sem consequências. Com certeza que muito irão choramingar porque eles até foram bastante simpáticos e hospitaleiros para com os benfiquistas que foram ao estádio. Penso que ao intervalo houve até direito a umas massagens aos pés e uns suminhos de fruta (não é dessa, de fruta, fruta mesmo!) distribuidos por entre o pessoal de vermelho visitante, tal era o prazer que eles tinham em receber os adeptos do clube que lhes enchem o estádio uma vez por época. Foi assim, não foi, Vitória de Guimarães? Quem não se sente, não é filho de boa gente! Ainda assim, reafirmo: sou contra estes actos criminosos.


A FESTA, essa, foi de norte a sul. Foi de todo o mundo.


As imagens da festa do bicampeonato por todo o Mundo


Fui então ver o que se tinha passado no Restelo, surpreendido que estava com o resultado. Fiquei impressionado, negativamente, pela falta de qualidade do jogo de um clube que tinha aspirações ao título.


O Porto jogou mal, tão mal, tão fraco tanto a defender como a atacar, que penso que o próprio porta-voz da lenga-lenga das arbitragens (projecção Freudiana) teve de se render à evidência. Ajoelhou-se, primeiro, em deferência e solidariedade para com Jesus, ao minuto 92 e depois felicitou-nos a todos, e bem, que levámos este nosso Sport Lisboa e Benfica ao colo durante toda esta campanha!


E bom! Vá de retro Satanás, que o Glorioso tem Jesus!
(E também o bruxo da Praia da Vieira!)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 15:57


Jonas-cido para marcar!

por Ao Colinho do Isaías, em 20.04.15

O Sport Lisboa e Benfica conseguiu sair do Restelo com os desejados três pontos, contando com dois golos do brilhante Jonas para construir o resultado final. A alegria nas bancadas em mais uma exibição da Onda Vermelha foi enorme, assim como enorme foi, uma vez mais, o Colinho com que esta teima em transportar a equipa de futebol do Glorioso. Os adeptos têm sido fundamentais esta época, particularmente.

A verdade é que este jogo diante do Belenenses esteve quase para ser outro Rio Ave. O Benfica apanhou-se a vencer cedo, com um golo excelente de Jonas, o primeiro dos dois que marcou. Quem considerar que foi um golo fácil nunca jogou à bola, nem entre amigos - estavam dois jogadores adversários capazes de poder interceptar a bola e só um remate frio e calculista podia batê-los. De qualquer forma, tal como nos Arcos, após o golo madrugador, o Benfica sentiu enormes dificuldades em controlar o ritmo de jogo e até de impor a sua passada, a que lhe interessava, na procura de um segundo golo que acalmasse a equipa Belenense. Foi aliás a equipa da casa quem mais tomou a iniciativa desde então, na procura do empate. Nesse aspecto, o campeão pelo Benfica Carlos Martins teve um papel preponderante, pautando o jogo dos azuis sempre com visão de jogo acima da média.

Continua ainda assim a ser estranha a postura do Benfica neste tipo de jogos fora. É certo que não jogam contra pinos, claro, mas há uma questão mental, reafirmo-o, associada ao desaire em Paços. Passou a haver uma dúvida nos jogos fora da Luz desde então. Contudo, considero que é bem possível que esta vitória tenha resolvido esse problema de confiança; uma situação a acompanhar e, espero, confirmar no próximo jogo fora.

Ao intervalo, desenhava-se assim, para muitos dos adeptos e talvez até para os jogadores, o cenário de dúvida e da possível repetição de Vila do Conde.
Só que apareceu o mago Gaitán e Jonas mostrou, uma vez mais, que é matador de topo, verdadeiramente nascido para marcar. Aquele primeiro toque na bola com o peito é exemplar, o remate ligeiramente pingado (em curva descendente ao chegar ao guarda redes) é completamente intencional e absolutamente perfeito. Jonas é um jogador de nível mundial e, quando servido convenientemente, como neste caso por Gaitán, resolve jogos e campeonatos. Já o tinha dito antes, algures, mas afirmo-o novamente: o melhor negócio do Benfica deste século.


O segundo golo matou o fantasma Rio Ave e instalou alguma tranquilidade. Conseguiu o Benfica controlar um pouco mais as ocorrências e tirar fulgor ao Belenenses, que só voltou a assustar bem perto do fim. Aliás, esta equipa, construída por Lito Vidigal e não pelo actual treinador, como bem se sabe, apresentou-se bem afoita e com vontade de disputar os três pontos. O erro inicial de um dos seus melhores jogadores não ajudou, claro, mas perante a eficácia demolidora de Jonas a equipa acabou por ceder.


Segue-se um jogo quente, sim, um jogo enorme. Será, no entanto, apenas mais um jogo e mais um passo nesta caminhada. Um resultado favorável deixa a questão muito perto de estar arrumada e, perante um Estádio da Luz repleto, espera-se o melhor Sport Lisboa e Benfica possível para essa contenda.

Vamos levando o Benfica ao Colinho!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 13:30




Ao Colinho do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Rui Vitória entre nós!


Jonas, um de nós!


Campeões Eternos


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog