Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Primeira Liga 19/20



O mais importante

por Ao Colinho do Isaías, em 04.11.15

O Benfica lá conseguiu os três importantíssimos pontos diante do Galatasaray, praticamente arredando os turcos da competição. Ficamos na luta pelo primeiro lugar e estamos a fazer uma fase de grupos extraordinária. Os jogadores tiveram uma atitude brilhante, procuraram sempre a felicidade e ela acabou por surgir... duas vezes. A sorte protege os audazes e o Benfica foi e é, seguramente e já o tinha sido na Turquia há duas semanas, mais audaz que este Galatasaray.

 

Só que o futebol jogado, especialmente a nível táctico, ainda tem extremas lacunas. Ganhei tiques ultimamente a ver o Benfica jogar, pois cada vez que vejo a equipa a sair a jogar por um lateral ou médio centro recuado, completamente tapado e sem linha de passe por estarem quatro em linha lá na frente à espera do passe longo... fico nervoso. Onde está a dinâmica, a "simples tabelinha", onde está o recuo de Jonas, de Gaitán, de Guedes para vir buscar jogo e combinar no centro com os seus colegas para podermos sair em posse e rápido? E defensivamente, o que são aqueles espaços todos entre os centrais, vez após vez, sem que ninguém do meio campo feche convenientemente, pelo menos, ou que haja uma compensação dos laterais para que se feche mais no meio?

 

Mal por mal, vou abster-me por ora de continuar a bater nas mesmas teclas já referidas anteriormente. Depois do resultado e exibição diante do Sporting, Rui Vitória perdeu, para mim, qualquer crédito como estratega e treinador. No entanto, estamos a falar do Sport Lisboa e Benfica e eu quero é que este clube vença. Ontem, venceu.

 

Vamos lá a ver se me mudam de opinião quanto ao potencial deste tipo de futebol.

 Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:22


A simples tabelinha

por Ao Colinho do Isaías, em 22.10.15

O Benfica podia e devia ter vencido o Galatasaray em Istambul, ponto. Antes do jogo, um empate teria sido dado como um bom resultado, mas depois do que se viu (particularmente em relação à postura defensiva da equipa turca), a equipa do Glorioso podia ter vencido com facilidade, mesmo depois de sofrer aqueles dois patéticos golos.

 

Com a felicidade de fazer o mais difícil cedinho, com a matreirice audaz de Jonas e a capacidade técnica de Gaitán a fabricarem o primeiro golo, o Benfica permitiu que a equipa turca desse a volta. No entanto, o problema nem foi os golos alcançados pela equipa turca, em duas falhas inacreditáveis neste patamar competitivo (Almeida sabe que não pode cair à bola com o braço levantado e Eliseu parecia que estava a preparar-se para correr no sentido inverso do posicionamento de Podolski). O problema residiu na incapacidade da equipa Benfiquista de jogar simples.

 

Os jogadores do Galatasaray iam sempre "à queima", sempre! O que fazia o portador da bola grande parte das vezes? Virava-se de costas para proteger a bola e passava para trás. Isso é válido quando se está a ganhar, para obrigar o adversário a ter de investir e correr mais, mas quando se está em desvantagem, o antídoto para essa postura defensiva é jogar simples e apoiado. É fazer a simples tabelinha. Não, ontem não seria a correria de Guedes ou a técnica de Gaitán nas alas a inventar o espaço, seria a tabelinha em espaços interiores. De cada vez que lhes aparecia um jogador do Benfica com a bola, os defesas e médios centro do Galatasaray saíam logo ao jogador para pressionar, deixando um imenso espaço atrás de si. Eles facilmente perdiam a formação defensiva, descompensavam-se. Bastaria que, do lado esquerdo ou direito do portador, aparecesse um jogador a oferecer a tabela rápida, para que, na devolução, o que fora portador original da bola desse por si em espaço aberto atrás do adversário que o pressionara. Mais simples não há.

 

Li alguns posts em blogs benfiquistas que apontam uma exibição mais bem conseguida na segunda parte e que foi azar a bola não entrar. Bom, isto é só parcialmente verdade. Houve de facto azar num ou outro lance e podia ter-se chegado pelo menos ao empate, mas não concordo que se tenha jogado bem na segunda parte. Fez-me lembrar Moreirense ou Arouca, ou seja, muita parra mas pouca uva. Num jogo destes, com um adversário que tem uma noção de organização defensiva inferior a um Moreirense ou Arouca (o Astana na Luz defendeu melhor e recorde-se como foi o primeiro golo desse jogo), bastava jogar simples, apoiado e rápido:


Nada que os jogadores do Benfica não saibam fazer (e que tentaram até uma ou duas vezes neste jogo, criando perigo), portanto neste aspecto foi responsabilidade de Rui Vitória. Mais do que o esquema táctico ou as substituições, foi na ausência da simples tabelinha que o Benfica foi ineficaz no ataque a partir do empate.

 

Há que rever este jogo internamente e perceber que daqui a quinze dias podemos goleá-los na Luz.

 

 Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

 

NOTA: Uma vénia à equipa de Hóquei do Glorioso, que bateu o Sporting por 9-0! Um exemplo da resposta correcta: depois de serem alvos de conversa para gerar controvérsia, só se retorque em campo, neste caso, no pavilhão. Parabéns!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:37




Ao Colinho do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Jorge Jesus? Nunca Mais!


Jonas, um de nós!


Campeões Eternos


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pontapés mais comentados