Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Primeira Liga 19/20



Todos gratos à cidadania do Bruno

por Ao Colinho do Isaías, em 08.07.16

Diário de Notícias vem, de certa forma, fazer parcialmente a vontade a Bruno de Carvalho, ao apresentar a ficha do Hospital relativa ao nascimento de Renato Sanches. Com certeza que o resto da documentação, a tal que o actual Presidente do Sporting Clube de Portugal sugeriu, inocentemente, que fosse publicado para que não pairassem dúvidas, será apresentado em tribunal. Aí e então, Bruno de Carvalho poderá ter, por fim, a sua cidadania pacificada, ao verificar que a verdade foi assegurada - ainda que possa, eventualmente, ser condenado a pagar qualquer coisita (tal como Carlos Severino e Guy Roux), tal preço é ínfimo incómodo pela honra de ter ajudado a que a verdade fosse apurada! É que o excelso cidadão promoveu que se ultrapassasse o obstáculo epistemológico do Ónus da Prova, de modo a que todo o mundo pudesse ficar esclarecido, por fim, e que este jovem talento pudesse disfrutar do seu futebol de forma mais leve! Todos gratos à cidadania do Bruno!

 

Transcrevo aqui a notícia na íntegra:

Renato Sanches em ação num jogo das camadas jovens do Benfica. Entrou para a formação encarnada em 2008 com apenas 9 anos, vindo do Águias da Musgueira... e as trancinhas sempre fizeram parte do 'look'.

O DN teve acesso ao registo de internamento da mãe, em que consta a data de nascimento: 18 de agosto de 1997, às 15.25, 2,560 quilos.

O crescimento de Renato Sanches como jogador foi de tal forma meteórico - da equipa B do Benfica ao Bayern Munique numa época - que deu azo a suspeitas sobre a tenra idade para tamanho talento. Tem apenas 18 anos? Porque foi registado com cinco anos? Estas foram algumas das questões levantadas e que levaram o jogador a decidir processar quem colocar em causa os seus 18 anos.

O DN teve acesso ao documento que acaba com as dúvidas. Trata-se da ficha clínica da mãe no Hospital Amadora-Sintra, onde consta o internamento de Maria Auxiliadora da Luz das Dores e o nascimento de um rapaz, a quem dariam o nome do pai: Renato Sanches.

O registo de internamento de Maria das Dores, quando deu entrada no hospital Amadora-Sintra, para dar à luz um rapaz no dia 18 de agosto de 1997, às 15.25, com 2,560 quilos, a quem daria o nome do pai: Renato Sanches

 

Foi este documento que "foi entregue na conservatória a atestar o nascimento do filho de Maria Auxiliadora e que é entregue a todas as mães que tenham dado à Luz no Amadora-Sintra", explicou fonte do hospital ao DN. A mesma fonte lembrou que hoje o processo já não implica cedência de papéis para registo, uma vez que os bebés são registados no próprio hospital, através do Balcão Ser Cidadão.

O bebé em causa, Renato Júnior Luz Sanches, nasceu no dia 18 de agosto de 1997 às 15.25 e pesava 2,560 quilos. E nasceu no Amadora-Sintra porque à data o pai tinha residência fixa na Damaia, onde vivia com a mãe. Mais tarde, com a separação, a mãe voltou à Musgueira, onde o jogador cresceu.

Até agora só era conhecido o documento emitido pela 2.ª Conservatória do Registo Civil da Amadora, onde era atestado que Renato nasceu às 15.25 do dia 18 de agosto de 1997. Dados que conferem com o registo de nascimento revelado pelo DN.

Já o facto de o jogador só ter sido registado aos 5 anos, segundo noticiou o Jornal de Notícias, teve que ver com a separação dos pais. O pai, que também se chama Renato Sanches, e é natural de São Tomé e Príncipe, mudou-se para França após o fim da relação com Maria das Dores, cabo-verdiana, e só voltou passados cinco anos para batizar o filho. Isto em 2002, quando Renato já tinha 5 anos.

Aos 9 anos, Renato foi para o Seixal, academia do Benfica, tendo-se estreado na equipa principal das águias a 30 de outubro de 2015, com o Tondela (4-0). Depois começou a viver um conto de fadas. Foi campeão nacional e assinou pelo Bayern antes de ser convocado para o Euro 2016, em que o seu desempenho tem estado imune aos rumores sobre a idade. O jogador tem sido aconselhado a não falar do assunto e por isso só por uma vez o abordou, numa entrevista à revista Sábado, a 21 de junho: "Claro que falta tu acordares de manhã e veres mais uma vez que o Renato não tem 18 anos, afinal tem 23 ou 25. Cresci em Portugal, estou há dez anos no Benfica, como é que vou ter 25 anos? Não tem lógica."

 

Guy Roux e Bruno de Carvalho

Guy Roux trouxe esta semana à ordem do dia a questão da idade do médio português. "Acredito que tenha 23 ou 24 anos. Mas é um jogador muito bom", disse o ex-técnico do Auxerre, que deverá ser alvo de um processo do jogador, como acontecerá com todos os que colocarem em causa a sua idade.

O assunto já vem de 2015, quando Carlos Severino, ex-candidato à presidência do Sporting, lançou suspeitas sobre a idade do jogador na CMTV. Mais recentemente, Renato Sanches exigiu um pedido de desculpas a Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, na sequência de comentários que fez no Facebook, sobre "um nascimento no Amadora-Sintra", em 1997.

O pedido de desculpas não aconteceu... mas ainda ontem Bruno de Carvalho abordou o assunto, em entrevista à TSF, completando: "Na defesa do jogador Renato ter-se--iam resolvido todos os problemas se o clube antigo, uma vez que já foi vendido ao Bayern de Munique, tivesse apresentado documentos. Não o quis. Se fosse um atleta do meu clube teria acabado com toda esta conversa logo desde o início. Apresentava a documentação, pois acho que a defesa dos meus atletas, que são a minha família, está acima de tudo. Não foi feito, agora não venham inventar."

E fez um desafio ao médio para a final: " O Renato fez um fabuloso golo. Traz uma dinâmica interessante. É um jogador da seleção e acarinho-o como a todos eles. É um jogador da minha seleção. Se for preciso faz um hat trick e fico muito satisfeito."

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 11:06


Renato Sanches no Bayern München

por Ao Colinho do Isaías, em 10.05.16

http://www.abola.pt/clubes/ver.aspx?t=3&id=611325

 

A SAD do Benfica comunicou esta terça-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter chegado a acordo com o Bayern para transferência de Renato Sanches por 35 milhões de euros.

O acordo prevê valores adicionais, num montante global de €45 milhões, dependentes da concretização de objetivos até 30 de junho de 2021.

O negócio poderá, assim, atingir os 80 milhões de euros previstos na cláusula de rescisão do médio de 18 anos.

Comunicado:

A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 24 8 º do Código dos Valores Mobiliários, informa que chegou a acordo com o Bayern Munique para a transferência a título definitivo dos direitos desportivos do atleta Renato Júnior Luz Sanches, pelo montante de €35.000.000 (trinta e cinco milhões de euros). Mais se informa que no acordo estão previstos valores adicionais, num montante global de € 45.000.000 (quarenta e cinco milhões de euros), dependentes da concretização de objetivos contratualizados e a ocorrerem até 30 de junho de 2021.

O Conselho de Administração
10 de maio de 2016

 

Dependendo se os objectivos são realizáveis (pois falta ainda esclarecer este ponto), o negócio poder chegar aos 80 milhões é excelente. Força Renato! Carregaste a equipa às costas numa altura em que estava vulnerável e sem pulmão. Serás sempre um dos nossos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 11:34


Taça da Liga Inatel

por Ao Colinho do Isaías, em 30.12.15

Com 90 minutos de futebol jogado ao nível da honorável amadora Liga Inatel (o que não é nada fácil, tendo em conta a qualidade dos intervenientes), o Sport Lisboa e Benfica lá conseguiu arrancar a vitória, uma vez mais, à laia da "chouriçada" de Rui Vitória - e mesmo assim tiveram de entrar Renato (que está já a sentir a pressão de andar a apanhar bonés no meio campo, sem haver qualquer ligação estratégica e táctica), Jonas (que anda ali a tentar dar um toquezinho de classe na equipa) e Jiménez (que tem presença e vontade de correr sempre atrás da bola).

 

Manuel Machado, cuja equipa de SUPLENTES quase humilhou o Benfica na Luz ontem, não fossem Ederson, Lisandro e alguma fortuna, viu a sua equipa jogar a um nível superior e comentou aguçadamente acerca da actual baixa exigência Benfiquista, na flash interview. Tem toda a razão. Infelizmente, um dos produtos da BTV tem sido, ao invés do zelo pelo Benfiquismo (que inclui a exigência e a transparência como valores), a protecção à estrutura de poder que do clube se alimenta. O Benfica também pode ser uma empresa, mas não é uma empresa no seu âmago: é um CLUBE de FUTEBOL e, historicamente, do melhor FUTEBOL do país, da Europa e do Mundo. Quem não entende isto, não entende o Benfica, lamento!

As palavras do treinador do Nacional (que não se limitaram à flash interview nem tão pouco à qualidade do futebol do Glorioso) perfuraram de tal modo a máscara de luzes e ruído que fez com que os primeiros comentários do profundamente nojento Pedro Guerra (figura de prôa da propaganda da estrutura), na BTV, claro, fossem proferidas no sentido de menorizar o que havia sido dito, tendo potencial para tocar no verdadeiro Benfiquismo. Manuel Machado é um cromo, sem dúvida, mas diz o que pensa. Pedro Guerra não tem autoridade moral para sequer proferir uma palavra em nome do Sport Lisboa e Benfica. Só que a culpa não é dele.

 

Se não queres moscas em casa, limpa a merda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 09:14


O jogo "zero" de um novo ciclo?

por Ao Colinho do Isaías, em 01.12.15

Num jogo que se esperava complicadíssimo, eis que se tornou numa enorme vitória conquistada em Braga, fruto de um pequeno factor posicional no momento ofensivo, que faz toda a diferença, como é visível.

Baixar um dos avançados para ser assumidamente um "10", transformando o 4-4-2 num 4-2-3-1 (apenas no momento ofensivo, pois defensivamente a equipa mantém o 4-4-2 assumido, mas já lá vamos), oferece ao nosso jogo outra dinâmica, por possibilitar mais e mais fáceis linhas de passe interiores. Acabou, com esta mudança, o fosso enorme que se via no meio campo, que colocava a nossa equipa quase a jogar num absurdo 4-2-4. O jogo faz-se de trás para a frente!
Gaitán, que foi fazendo de "10" nesta partida, mas por vezes trocando com Pizzi, que jogou mais à direita, e Guedes, que esteve mais apagado à esquerda, teve sempre mais espaço desta forma e maior escolha no momento de decidir. Durante grande parte deste jogo, deixou de haver aquele "Benfiquinha" do cruzamento "à chouriço" para a área, a ver se cai alguma coisa no prato, e houve sim um bom Benfica, cheio de dinamismo ofensivo. O que faz um simples "detalhe" posicional!
E Mitroglou é absolutamente impressionante. Estando em condições físicas para jogar, deve ser titular indiscutível!

O posicionamento defensivo, no entanto, foi deficiente ainda, apesar de, com a confiança dos golos, se verificar uma outra dinâmica na pressão - em particular com a capacidade física de Sanches, que se tornou num titular indiscutível. O 4-4-2 a defender parece-me inadequado, sendo preferível o recuo do 10 para povoar o centro do meio campo quando não se tem a bola. Lisandro fez um belo golo, é forte no desarme, mas tem uma enorme dificuldade em manter a linha defensiva. Foi frequente encontrá-lo desalinhado: ora pela excessiva vontade de desarmar, ora por marcar apenas o homem, sem olhar ao posicionamento relativo aos seus companheiros da defesa. Não é fácil, mas acredito que com trabalho e confiança, possa chegar ao nível de Jardel.

Outra curiosidade muito positiva foi ter verificado que a equipa afinal sabe trocar a bola e pôr o adversário a correr atrás dela. Porque não o fez mais cedo? Bom, há mérito do Braga, que de facto quis muito virar o resultado, mas há algum demérito do Benfica, a nível do já referido posicionamento defensivo. Alguns detalhes na transição defensiva podiam ter dado um maior descanso à nossa equipa, mas com certeza que o Pinheiro do Eu Visto de Vermelho e Branco, dissecará isso que todos vimos de uma forma mais evidente e técnica.

O que se deseja é que este seja o jogo "zero" de um novo ciclo para Rui Vitória. Há que utilizar esta boa exibição de uma forma diferente do que se fez aquando da vitória em Madrid.

 

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:32

Do futebol praticado pela equipa do Sport Lisboa e Benfica em Astana, há, colectivamente, pouco ou nada de novo a dizer. As falhas de posicionamento defensivo mantêm-se e a dinâmica ofensiva continua pobre, tendo sido menos visível pela falta de qualidade relativa do adversário.
Houve, no entanto, no aspecto individual uma certeza que só se houver uma escandalosa cegueira por parte do actual treinador do Benfica, Rui Vitória, não será implementada: Renato Sanches é o novo titular indiscutível.

O rapaz encheu o campo. Esteve presente no momento defensivo, posicionando-se sempre bem, e foi um verdadeiro motor ofensivamente, procurando sempre a conquista de terreno, com bola, ao adversário e eficaz e sem medo no momento de decidir, sempre bem, um passe.
Foi ele o desequilibrador. Foi ele a luz intensa de um farol no mar de escuridão futebolística que caracteriza o futebol actual Benfiquista.

Desengane-se, ainda assim, quem pense que ganhar Sanches, Semedo ou Guedes equivalem a vitórias. A aposta nos talentos do Seixal já estava atrasada, de acordo, mas este não é o melhor método para a implementar.
Sob a perspectiva de uma efectiva mudança na filosofia do futebol do Benfica, não é a saída do anterior treinador, Jorge Jesus, que me preocupa - é sim a escolha do sucessor. É que "atirar" jovens para dentro de campo qualquer um pode e consegue fazer. Integrá-los num esquema táctico e filosofias vitoriosas é difícil e requer que o treinador alie a uma sabedoria táctica impecável, uma capacidade humana acima da média para conseguir comunicar com tanto jovens como veteranos, para aliá-los na luta pela vitória.

Sanches, tal como Semedo antes de se lesionar, é um heroi apenas porque a ausência de competência táctica e estratégica obriga a que seja a criatividade e a capacidade física individuais a fazer a diferença. Com um jogo colectivo competente, o heroismo dilui-se e a vitória torna-se mais provável.

Pela minha parte, preferia que a ascensão destes talentos se fizesse dessa outra forma competente e vitoriosa, sem heroismos, para que mais tarde não se possam tornar vilões quando não puderem, num dia mau, corresponder às elevadas expectativas que aos seus jovens ombros foram colocadas. Receio que, para isso, seja necessário mesmo outro treinador.

Ainda assim, tenho de deixar os meus parabéns, merecidos, pela qualificação no seu todo. Espero que seja possível alcançar o primeiro lugar na Luz!

Leia uma análise mais factual à partida, por Eu visto de Vermelho e Branco, aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

rematado às 08:49




Ao Colinho do Isaías

foto do autor


O verdadeiro Isaías!


Jorge Jesus? Nunca Mais!


Jonas, um de nós!


Campeões Eternos


Fehér, eterno 29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog